Cover Image

Technology-dependent children: the meaning of home care – a descriptive study

Muriel Fernanda Lima, Luis Fernando de Paulo, Ieda Harumi Higarashi

Abstract


Aim: To highlight family strengths and weaknesses in terms of the care provided to children who are dependent on technology, and changes occurring following the return of these children to their homes; to discuss challenges and opportunities for family inclusion in the healthcare process. Method: This study uses a descriptive method that employs a qualitative approach, conducted with families of chronically ill technology-dependent children in a city in southern Brazil. The information obtained was treated according to the methodological frameworks of content analysis and thematic modality, and the theoretical framework of symbolic interactionism. Results: Data analysis was performed by distilling/separating data into five thematic categories, which were explored and discussed. Conclusion: The study gave an insight into the meanings that the family attributes to the experience of caring for a technology-dependent child, identifying the weaknesses of care and the gaps in the support provided by health services. 

Keywords


Child; Pediatrics; Nursing; Caregiver.

References


Schimitd MI, Duncan BB, Silva GA, Menezes NA, Monteiro CA, Barreto SM, et al. Doenças crônicas não transmissíveis no Brasil: carga e desafios atuais. In: The Lancet – Saúde no Brasil. [cited 13 set 2013]. Available from: http://www.thelancet.com/series/health-in-brazil.

Mendes EV. O cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde: o imperativo da consolidação da estratégia da saúde da família. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde; 2012.

Kirk S, Glendinning C, Callery P. Parent or nurse? The experience of being the parent of a technology – dependent child. J AdvNurs. 2005;51(5):456-64.

Okido ACC, Hayashida M, Lima RAG. Profile of technology-dependent children in RibeirãoPreto-SP. J. Hum.Growth Dev. 2012; 22(3): 291-296.

Blumer H. Symbolic interactionism: perspective and method. Englewood Cliffs: Prentice-Hall; 1969.

Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70; 2011.

Brasil. Presidência da República. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente. Brasília (DF); 1990 Jul 13.

Lima MF, Arruda GO, Vicente JB, Marcon SS, Higarashi IH. Crianças dependentes de tecnologia: desvelando a realidade do cuidador familiar. Rev Rene. 2013; 14(4): 665-73.

Rezende JM, Cabral IE. As condições de vida das Crianças com Necessidades Especiais de Saúde: determinantes da vulnerabilidade social na rede de cuidados em saúde as crianças com necessidades especiais de saúde. R. pesq.:cuid. fundam. online. [Internet].2010 [cited 2011 Out 16]; 2(Ed. Supl.):22-25. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/773/pdf_68.

Lima EC, Ribeiro NRR. A família cuidando do filho dependente de ventilação mecânica no domicílio. CiencCuid Saúde. 2009; 8(suplem): 110-16.

Leite NSL, Cunha SR, Tavares MFL. Empowerment das famílias de crianças dependentes de tecnologia: desafios conceituais e a educação crítico reflexivafreireana. Rev. Enferm. UERJ. 2011; 19(1): 152-6.

Pontes-Fernades AC, Peten EBL. Sobrecarga emocional e qualidade de vida em mães de crianças com erros inatos do metabolismo. Psicolteorpesqui. 2011; 27(4): 459-65.

Floriani CA. Home-based palliative care: challenges in the care of technology-dependent children. J Pediatr (Rio J). 2010;86(1):15-20.

Rabello AFG, Rodrigues PH. Saúde da família e cuidados paliativos infantis: ouvindo os familiares de crianças dependentes de tecnologia. Ciênc Saúde Coletiva. 2010; 15(2):379-88.

Santo EARE, Gaiva MAM, Espinosa MM, Barbosa DA, Belasco AGS. Cuidando da criança com câncer: avaliação da sobrecarga e qualidade de vida dos cuidadores. Rev. Latino-Am. Enfermagem. 2011; 19(3): 9 telas.

Guimarães CA, Lipp MEN. Os possíveis porquês do cuidar. Rev. SBPH [internet]. 2012 [cited 2011 Oct 16]; 15(1): 249-63. Available from: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-08582012000100014&lng=pt.

Silva RVGO, Ramos FRS. Processo de alta hospitalar da criança: percepções de enfermeiros acerca dos limites e das potencialidades de sua prática para a atenção integral. Texto Contexto Enferm. 2011; 20(2): 247-54.

Brasil. Presidência da República. Lei n. 963, de 27 de maio de 2013. Redefine a Atenção Domiciliar no âmbito do Sistema Único de Saúde. Diário Oficial da república Ferderativa do Brasil, Brasilia (DF); 2013 Ago 8.

Elsen I, Souza AIJ, Prospero ENS, Barcellos WBE. O cuidado profissional às famílias que vivenciam a doença crônica em seu cotidiano. CiencCuidSaude. 2009; 8(suppl): 11-22.

Wang KWK, Barnard A. Technology-dependent children and their families: a rewiew. J Adv Nurs. 2004; 45(1): 36-46.




DOI: https://doi.org/10.17665/1676-4285.20155191