Cover Image

Pressure ulcers in elders and in non-elders: a historical cohort study

Ivanilda Lacerda Pedrosa, Maria Socorro Moura Lins Silva, Angela Amorim de Araújo, Carla Helena Augustin Schwanke, Geraldo Attílio DeCarli, Irênio Gomes

Abstract


Aim: to compare demographical and clinical characteristics of elders and non-elders with pressure ulcers (PU), hospitalized in an Intensive Care Unit (ICU) of a public school hospital in the Brazilian state of Paraíba. Method: this is a historical cohort study, which included 29 patients between the ages of 18 and 94 years, divided into two age groups (≥60 years old = elder; <60 years old = non-elder). Results: 14 individuals were elders (average age 73.8±10.7 years old) and 15 were non-elders (average age 38.3±12.9 years old). Comorbidities and PU in advanced stages were significantly more common among elders (p=0.017 and p=0.010, respectively). Discussion: it is recognized that the number of ulcers, their stage and parts of the body affected by them can influence the evolution of the clinical state of the patient in the ICU, as well as the acute disturbance responsible for the patient’s hospitalization and associated comorbidities. Conclusion: elder patients present significantly more comorbidities and PU in advanced stages than non-elderly patients. Other characteristics here investigated did not show any significant differences based on the age group.


Keywords


Pressure Ulcer; Intensive Care Units; Inpatients

References


NPUAP. NATIONAL PRESSURE ULCER ADVISORY PANEL. Pressure ulcer prevalence, cost and risk assessment: consensus development conference statement. Decubitus. 1989; (2)2: 24-8.

Ferreira PL, Miguéns C, Gouveia J, Furtado K. Risco de desenvolvimento de úlceras de pressão- implementação nacional da escala de Braden. Loures: Lusociência – Edições técnicas e científicas; 2007.

Geovanini T, Junior AGO, Palermo TCS. Manual de curativos. São Paulo: Corpus. 2007.

Faustino AM, Jesus CAC, Kamada I, Reis PED, Izidório SR, Ferreira SS. O conhecimento do enfermeiro acerca dos novos descritores de classificação para úlcera por pressão: estudo descritivo. Online Brazilian Journal of Nursing. 2010. Mai, vol 9, n 1, 19p. (Acesso em 17 de agosto de 2012); Disponível em: http://www.objnursing.uff.br/index.php/nursing/article/view/2800.

Silva AAB, Francelino GA, Silva EFS. Romanholo HSB. A enfermagem na prevenção de úlceras por pressão por fatores extrínsecos em um hospital público no município do Espigão do Oeste- RO. Rev Eletrônica da Facimed. 2011 jan-(jul; 3 (3):352-62.

Araújo CRD, Lucena STM, Santos IBC, Soares MJGO. A enfermagem e a utilização da escala de Braden em úlcera por pressão. Rev Enferm. UERJ, Rio de Janeiro, 2010 jul-set; 18(3):359-64.

Sousa CA, Santos I, Silva LD. Aplicando recomendações da Escala de Braden e prevenindo úlceras por pressão - evidências do cuidar em enfermagem Rev Bras Enferm. 2006 maio-jun; 59(3): 279-84. (Acesso em 31 de outubro 2011); Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v59n3/a06v59n3.pdf.

Serpa LF, Santos VLCG, Predictive validity of the Braden scale for Pressure ulcer risk in critical care patients. Rev Latino-am. Enfermagem 2011 jan-feb; 19(1): 50-7.

Póvoa VCO, Pérez SR, Dantas E. Incidência de úlceras por pressão em um centro de terapia intensiva de um hospital universitário. Rev Estima. 2008; 6(2): 23-7.

Gomes FSLG, Bastos MAR, Matozinhos FP, Temponi HR, Meléndez GV. Fatores associados à úlcera por pressão em pacientes internados nos Centros de Terapia Intensiva de Adultos. Rev Esc Enferm USP 2010; 44(4):1070-6. (Acesso em 24 de outubro de 2011); Dísponível em: www.ee.usp.br/reeusp/

Gomes FSLG, Bastos MAR, Matozinhos FP, Temponi HR, Meléndez GV. Avaliação de risco para úlcera por pressão em pacientes críticos. Rev Esc Enferm USP 2011; 45(2):313-18.

Lima e Silva EWN, Araújo RA, Oliveira ECO, Falcão VTFL. Aplicabilidade do protocolo de prevenção de úlcera de pressão em unidade de terapia intensiva. Rev Bras Ter Intensiva; 2010; 22(2):175-85.

Paiva LCD. Úlcera de pressão em pacientes internados em um hospital universitário em Natal/RN: condições predisponentes e fatores de risco. [Dissertação] Natal, (RN). UFRN; 2008.

Pessoa, EFR, Rocha JGSC, Bezerra SNG. Prevalência de úlcera por pressão em pacientes acamados, cadastrados na Estratégia de saúde da Família: um estudo de enfermagem. Rev interdisciplinar NOVAFAPI, Terezina, 2011; jan-fev-mar; 4(1):14-8.

Oliveira LMN. Utilização do ozônio através do aparelho de alta frequência no tratamento da úlcera por pressão. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, 2011 out-dez; 9(30):41-6.

Lima ACB, Guerra MG. Avaliação do custo do tratamento de úlceras por pressão em pacientes hospitalizados usando curativos industrializados. Ciênc. saúde coletiva 2011; 16(1) Rio de Janeiro Jan. (Acesso em: 18 de agosto de 2012); Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232011000100029




DOI: https://doi.org/10.5935/1676-4285.20144111



 

The articles published in Online Brazilian Journal of Nursing are indexed, classified, linked, or summarized by:

 

Affiliated to:

Sources of Support:

 Visit us:

   

 

The OBJN is linked also to the main Universities Libraries around the world.

Online Brazilian Journal of Nursing. ISSN: 1676-4285

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons:Noncommercial-No Derivative Works License.