v11n2sup 4005pt

NOTAS PREVIAS

 

 

Parâmetros gasométricos após aspiração traqueal em portadores de choque séptico: ensaio clínico

 

 


Alexandra de Oliveira Matias Ferreira1,2, Monyque Evelyn dos Santos Silva3, Paula Dias Vidigal3, Maria Cecília Pereira Bosa1, Dalmo Valério Machado de Lima3

1Hospital Universitário Clementino Fraga Filho / Universidade Federal do Rio de Janeiro
2Hospital Universitário Pedro Ernesto / Universidade do Estado do Rio de Janeiro
3Universidade Federal Fluminense

 


RESUMO
Hipótese: Não há hipoxemia após a aspiração traqueal quando não há supraotimização de O2 pré-aspiração. Objetivo: verificar, por meio de avaliação de gasometria arterial, se há diferença significativa dos valores de SaO2, PaO2 e P/F, em pacientes em uso de prótese ventilatória e quadro de choque séptico, quando não se utiliza a FiO2 a 100% após a aspiração traqueal. Metodologia: ensaio clínico randomizado do tipo crossover, com duas intervenções, um braço, duplo-cego, fase III. Amostra de conveniência estimada em 27 pacientes por cálculo para variáveis discretas de populações finitas. Critérios de inclusão: choque séptico com foco de infecção local, em ventilação mecânica há mais de 12 horas, FiO2 ideal < 95%; PEEP < 24 mmHg. Para análise estatística utilizar-se-á o teste ‘t’ de student com nível de significância de 5% auxiliado pelo software R versão 2.5.1.
Palavras-chave: Anóxia; Sucção; Ensaio clínico; Enfermagem; Unidades de Terapia Intensiva.


 

SITUAÇÃO PROBLEMA E SUA SIGNIFICÂNCIA

Ensaios clínicos randomizados têm demonstrado que a oferta de oxigênio a 100%, antes e após a aspiração traqueal, em pacientes estáveis em processo de desmame não apresenta diferenças significativas nos parâmetros gasométricos e repercussões clínicas, comportamento não testado em pacientes sépticos. Embora a aspiração traqueal seja essencial no processo do cuidado prestado à população referida, ela tem sido realizada da mesma forma desde a sua criação em 1936(1). Essa técnica possui a finalidade de manter as vias aéreas pérvias, prevenir infecções, promover trocas gasosas, incrementar a oxigenação arterial e melhorar a função pulmonar de pacientes entubados, traqueostomizados ou com rebaixamento do nível de consciência e que possuem o reflexo de tosse diminuído. Quando há acúmulo de secreção no trato respiratório, o enfermeiro deverá atuar de modo a remover e/ou facilitar a eliminação dessa secreção(2).

 

QUESTÃO DE PESQUISA

Existem diferenças significativas nas taxas gasométricas e na SpO2 quando não se realiza a hiperoxigenação com FiO2 a 100% antes da aspiração traqueal, em pacientes críticos sépticos, utilizando como parâmetro valores basais de normoxemia fisiológica?

 

HIPÓTESE

Não há hipoxemia, comparando-se PaO2, SaO2, P/F e SpO2, após a aspiração traqueal quando não se utiliza hiperoxigenação a 100% antes da aspiração traqueal em pacientes críticos sépticos.

 

OBJETIVO

Verificar se há diferença significativa dos valores de SaO2, PO2, P/F e SpO2, nos pacientes críticos sépticos em ventilação mecânica, quando não se realiza a hiperoxigenação a 100% antes da aspiração traqueal comparando a gasometria pré e pós aspirativa, segundo parâmetros basais de normoxemia fisiológica.

 

DESFECHO PRIMÁRIO

A aspiração traqueal sem incremento da FiO2, por tempo inferior a 15 segundos, com reconexão à ventilação mecânica entre as aspiração seja tão efetivo quanto a supraotimização de oxigênio antes da aspiração para prevenir hipoxemia.

 

MÉTODO

Ensaio clínico randomizado do tipo crossover, um braço, duplo-cego, fase III, dado que serão comparados dois ou mais tratamentos ou intervenções nos quais os sujeitos ou pacientes, depois de completarem uma etapa de um tratamento serão submetidos a outra intervenção terapêutica(3).
Será realizada uma avaliação basal para seleção dos pacientes e uma gasometria pré-aspirativa, denominada gasometria ideal. A randomização será realizada em bloco de quatro pacientes, selecionados de uma sequência de números aleatórios gerados pela planilha eletrônica MicrosoftOfficeExcel2010 de propriedade da MicrosoftCorporation®. Os sujeitos do grupo A serão submetidos à aspiração com FiO2 a 100% e os do grupo B à aspiração sem acréscimo no valor basal da FiO2. Ao término será realizada nova gasometria e a troca dos grupos. A aspiração traqueal será realizada através do sistema aberto com cateter nº 14, com técnica asséptica. Para contagem do tempo será utilizado um cronômetro da marca QuartzTimer®.
Critérios de elegibilidade: maiores de 18 anos, acometidos por choque séptico com foco de infecção local, em ventilação mecânica há mais de 12 horas, FiO2 ideal < 95%; PEEP < 24 mm/Hg. Serão excluídos pacientes cirúrgicos com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica Gold IV; pacientes que estejam recebendo somente medidas paliativas de cuidados; puérperas e; plaquetopênicos.
A amostra de conveniência foi estimada em 21 pacientes por meio de cálculo para variáveis discretas de populações finitas ao nível de significância de 0,05 e intervalo de confiança de 95%.
O tempo de wasout será determinado através da ausculta pulmonar para confirmação da presença de secreção traqueal.
Para a análise dos exames será utilizado o cartucho para diagnóstico invitro, de uso único e descartável, com analisadores para sangue total humano, à beira do leito.
O tempo de seguimento está estimado em seis meses - agosto de 2012 a fevereiro de 2013, período necessário para atingir o n amostral.

 

ANÁLISE DOS DADOS

Teste t-student para comparação bicaudal de amostras emparelhadas com adoção de um α = 0,05 com auxílio do software R versão 2.5.1.

 

ASPECTOS ÉTICOS

O projeto foi submetido ao comitê de ética da Universidade Federal do Rio de Janeiro conforme a Resolução 196/96 do Conselho Nacional de Saúde, aprovado com o número CAAE 04432812.0.0000.5257 e Protocolo 061-12. Registros Primários da OMS do UTN: U1111-1132-8681 e Registro no ensaio clínico brasileiro projeto nº REQ:796.

 

REFERÊNCIAS

1. Martins I, Gutiérrez MGR. Nursing interventions for the nursing diagnosis ineffective airway clearance. Acta Paul Enferm. 2005;18(2):143-9

2. Rodrigues MVH. Estudo do comportamento hemodinâmico, da troca gasosa, mecânica, respiratória e da análise do muco brônquico na aplicação de técnicas de remoção de secreção brônquica em pacientes sob ventilação mecânica.  Tese [ doutorado em Cardiologia ]. Universidade de São Paulo; 2007.

3. Lima, DVM. Design of research: a contribution for authors. OnlineBraz J ofNursing. [ serial on the Internet ]. 2011 Oct; [ cited 2012 Aug 3 ] 10(2). Available from: http://www.objnursing.uff.br/index.php/nursing/article/view/3648

 

 

Dados do Projeto: Projeto de Dissertação do Programa de Mestrado Profissional em Enfermagem Assistencial.
Apoio Financeiro à Pesquisa: Conselho Regional de Enfermagem - RJ.

Recebido: 03/08/2012
Aprovado: 06/09/2012