Nursing and aids: memories of an epoch at the Nereu Ramos Hospital (1986 – 1996) – historical research

Jenifer Adriana Domingues Guedes, *UFSC

 

Resumo: A aids surgiu no inicio da década de 1980 e propagou-se por todo o país, exigindo a criação de serviços especializados para o seu tratamento. Em Florianópolis/SC, o Hospital Nereu Ramos (HNR) é Centro de Referências Estadual no tratamento de pessoas com aids. Considerando que a doença tem provocado sérias alterações na vida das pessoas acometidas, e também na vida dos profissionais que cuidam destas, este estudo teve por objetivo: Historicizar, através da memória, as experiências dos profissionais de enfermagem que vivenciaram o surgimento da aids e sua evolução no HNR, no período de 1986 – 1996. Trata-se de uma pesquisa qualitativa com abordagem sócio-histórica, tendo como referencial a memória, e como técnica de coleta de dados, a história oral. A pesquisa atendeu aos princípios éticos recomendados pela Resolução 196/96. A análise das entrevistas realizadas com os profissionais de enfermagem sugere inicialmente quatro categorias: Memória relacionada ao HNR; Memória relacionada às relações e aos enfrentamentos dos profissionais de enfermagem; O reconhecimento do HNR como referência no tratamento da aids em SC; Recordar como espaço fortalecedor da identidade e satisfação profissional. Concluímos que a aids tem provocado mudanças expressivas na instituição como um todo e no comportamento dos profissionais de enfermagem que lá atuaram. 

Palavras-chave: Síndrome de Imunodeficiência Adquirida, Enfermagem, Memória. 

Situação problema e sua significância 

A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (aids) surgiu no inicio da década de 1980 de forma abrupta, e em virtude de sua rápida proliferação e efeitos diversos sobre a população, suscitou várias pesquisas por parte de pesquisadores/investigadores com o objetivo de conhecer suas causas e fatores relacionados. Por ser desconhecida da grande maioria dos profissionais de saúde, a aids trouxe consigo uma imensidão de incertezas, inseguranças e receios, fazendo emergir na saúde, novos desafios e demandas para os profissionais, especialmente para a equipe de enfermagem, que se encontra presente ao lado do doente, nas vinte e quatro horas do dia.  

No Brasil, a aids propagou-se de forma crescente em todo o país, tendo exigido a adoção de estratégias por parte do Governo Federal para o seu combate, como a criação de serviços especializados para o tratamento da doença. O Hospital Nereu Ramos (HNR) de Florianópolis/SC, destinado desde a sua criação ao tratamento de doenças infecto-contagiosas, é exemplo disso, e desde 1998, é Centro de Referência Estadual no tratamento de pessoas com aids1.  

A aids provocou sérias alterações, não só na vida das pessoas acometidas por esta, mas também na vida e no trabalho dos profissionais de saúde que as cuidam. Em um estudo2 realizado em 2006 numa instituição de referência no combate à aids, as autoras concluiram que para melhor compreender os profissionais de enfermagem que cuidam de pessoas com aids faz-se necessário realizar uma pesquisa de cunho histórico que permita estudar as suas vivências, desde o primeiro contacto com a doença. Por outro lado, constata-se que o profissional enfermeiro se faz presente em diferentes espaços e apresenta atuações distintas no campo da aids, porém, oficialmente não há estudos que ressaltem essa prática3.  

Questão norteadora/Objetivo 

Considerando o que foi referido anteriormente, questionamo-nos Como é que os profissionais de enfermagem do HNR vivenciaram o advento da aids e sua evolução na instituição? A partir dessa questão, temos como objetivo: Historicizar, através da memória, as experiências dos profissionais de enfermagem que vivenciaram o surgimento da aids na HNR e sua evolução no período de 1986 – 1996. A escolha do período de tempo inicial, prende-se com o momento do aparecimento da aids na instituição (1986), e o tempo final (1996), com o advento da terapia anti-retroviral, que permitiu uma melhora substancial da qualidade de vida das pessoas com aids (decorrente do uso da medicação) e dos cuidados de enfermagem prestados. 

Metodologia (referencial teórico e técnica de pesquisa) 

Trata-se de uma pesquisa qualitativa com abordagem sócio-histórica, tendo como referencial teórico, a memória. No sentido de compreender as experiências passadas na perspectiva daqueles que as viveram, utilizamos a História Oral (HO) como técnica de coleta de dados. No primeiro semestre do ano de 2007, foram realizadas entrevistas com três enfermeiros, dois técnicos e dois auxiliares de enfermagem que trabalharam no HNR com pessoas acometidas pela aids entre 1986 e 1996, e utilizadas outras fontes documentais, como: artigos de revistas indexadas, livros, dissertações, teses, relatórios, entre outros.

No que se refere às questões éticas, a pesquisa seguiu o preconizado pela Resolução 196/96 do Conselho Nacional de Saúde (CNS) que regulamenta a pesquisa com seres humanos , tendo sido obtido o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido e a Carta de Cessão de Entrevista de cada um dos entrevistados. O estudo foi avaliado e aprovado pelo Comitê de Ética da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) com o Parecer N.º 333/06. 

Na análise dos dados foram obtidas até agora, as seguintes categorias: Memória relacionada ao HNR (estrutura, condições de trabalho, pacientes); Memória relacionada às relações e aos enfrentamentos dos profissionais de enfermagem; O reconhecimento do HNR como modelo de referência no tratamento da aids em SC; Recordar o passado como espaço fortalecedor do conceito de identidade e satisfação profissional na enfermagem.  

Embora o estudo ainda não esteja concluído, estando em sua etapa final, pudemos constatar até o presente momento que a aids provocou mudanças expressivas no HNR no seu todo e no comportamento dos profissionais de enfermagem dentro da instituição e fora desta.

Concluímos ainda que, passados mais de vinte anos do seu surgimento, esta doença ainda representa um grande desafio para quem trabalha nessa área, e também para a sociedade no seu todo, devido ao seu caráter estigmatizante e excludente. 

Bibliografia de referência 

1. Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina [homepage na internet]. Florianópolis: Secretaria de Estado da Saúde; [citado 2007 Mar 02]. Hospital Nereu Ramos: histórico; [aproximadamente 1 p.]. Disponível em: http://www.saude.sc.gov.br/geral/orgaos_vinculados/Hospitais/hnr/historico.htm.

2. Guedes JAD, Borenstein MS, Meirelles BHS. Coping of Nursing Professionals who take care of people with Aids – an Educative-Reflective Practice. Online Braz J Nurs [periódico na internet]. 2007 [citado 2007 Ago 10]; 6 (2): [aproximadamente 10 p.]. Disponível em: http://www.uff.br/objnursing/index.php/nursing/article/view/j.1676-4285.2007.802/192.

3. Acioli S, Heringer A, Oliveira DC, Gomes AMT, Formozo GA, Costa TL, Giami A. HIV/AIDS and nursing in thesis and dissertations – 1980 to 2005. Online Braz J Nurs [periódico na internet]. 2006 [citado 2007 Mar 12]; 5 (3): [aproximadamente 10 p.]. Disponível em: http://www.uff.br/objnursing/viewarticle.php?id=778&layout=html.

 Dados do projeto:

 Projeto de dissertação submetido ao Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Santa Catarina, aprovado em 11/04/2007 pela banca examinadora composta por: Dra. Miriam Süsskind Borenstein (UFSC); Dra. Betina Hörner Shlindwein Meirelles (UFSC); Dra. Joana Maria Pedro (UFSC). 

Aprovação no Conselho de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de Santa Catarina em 27/11/2006 com o No. Parecer 0333/06.           

Endereço para correspondência: Jenifer Adriana Domingues Guedes - Universidade Federal de Santa Catarina - Centro de Ciências da Saúde – Departamento de Enfermagem - Programa de Pós-Graduação em Enfermagem - Campus Universitário – Trindade - CEP: 88040-970 - Florianópolis – Santa Catarina – Brasil - Telefone: 48 96281282

Received Sep 15th, 2007

Accepted: Sep16 th, 2007