The instrumental domination on the organisation of services - an analysis of communication with focus habermaseano

Maria Itayra Padilha, Lisneia Fabiani Bok, Lucia Nazareth Amante, Sílvio Eder Dias da Silva, Denise Faucz Kletenberg

Abstract


 

This a reflection on the communication process in nursing emphasizing the domination by scientific knowledge and fragmentation of shares between professionals that manifests itself during the interaction between the subjects that are in health services for solutions for adversity. The method is qualitative, with documentary research of 112 articles published in Brazilian journals between 1990 and 2002. The content analysis of evidence: the domination instrumental on the organisation of services and the mechanization of nursing care. The results indicate the domination by knowledge, normalized and controlled in health services. There is a predominance of technological devices and technology in finding solutions to health problems. The method of construction of knowledge of nursing re-conceptually means the Science, Technical and language with a view to their practical application


Keywords


Nursing; Communication; Knowledge; Health Services

References


Silva MJP. Comunicação tem remédio: a comunicação nas relações interpessoais em saúde. São Paulo: Gente; 1996.

Stefanelli M. Comunicação com o paciente, teoria e ensino. 2 ed. São Paulo: Robe Editorial; 1993.

Souza LNA. Perspectivas do agir comunicativo implícitas no discurso da enfermagem [tese]. Florianópolis (SC): Programa de Pós-Graduação em Enfermagem/UFSC; 2005.

Teixeira ER. A subjetividade na enfermagem – o discurso do sujeito no cuidado. Rev Bras Enferm 2000;53(2):233-9.

Habermas J. Teoría de la acción comunicativa, I. 3 ed. Santanfé de Bogotá: Taurus Humanidades; 2001.

Pereira WR. Algumas contribuições da análise institucional para estudar as relações entre os serviços públicos de saúde e a sua clientela. Rev Bras Enferm 2000;53(1):31-8.

Ordahi LFB, Padilha MISC, Souza LNA. Comunicação entre a Enfermagem e os Clientes Impossibilitados de Comunicação Verbal. Rev Lat-amer Enferm 2007;15(5): 965-72.

Lopes CLR, Barbosa MA, Teixeira MEM, Coelho RB. A comunicação profissional de saúde x cliente diante das novas tecnologias. Rev Bras Enferm 1998;51(1):53-62.

Miranda Lopes MS, Teixeira RBS, Teles RM. Expectativas dos clientes hospitalizados frente ao relacionamento com a equipe de enfermagem. Rev Bras Enferm 1997;50(2): 183-96.

Lopes CLR et al. A comunicação profissional de saúde x cliente diante das novas tecnologias. Rev Bras Enferm 1998;51(1):53-62.

Freitag B. Itinerários de Antígona: a questão da moralidade. 2 ed. Campinas: Papirus; 1997.

Silva LMG, Brasil VV, Guimarães HCQCP, Savonitti BHRA, Silva MJP. Comunicação não-verbal: reflexões acerca da linguagem corporal. Rev Lat-amer Enferm 2000;8(4):52–8.

Faria EM. Comunicação e informação “instrumentos para a transformação da prática dos serviços de saúde”. Texto e Contexto Enferm. 1995;4(1):47-59.

Habermas J. Técnica e ciência como “ideologia”. Lisboa: Edições 70; 1968.

Sadala MLA. Estudo da ansiedade como variável no relacionamento aluno-paciente. Rev Lat-amer Enferm 1994;2(2):21-35.

Azevedo NA, Kantorki LP, Ornellas CP. Prática assistencial às famílias de pacientes em tratamento quimioterápico baseada na teoria humanística de Paterson & Zderad. Texto e Contexto Enferm. 2000;9(2):17-27.

Souza ML, Sartor VVB, Padilha MICS, Prado ML. O cuidado em enfermagem - uma aproximação teórica. Texto e Contexto Enferm 2005;14:266-7.

Oliveira T, Simões S. Communication faces in the practice of nursing: a bibliographic research Online Brazilian Journal of Nursing. Brazilian Journal of Nursing [periódico online]. 2010 [capturado em 2011 abril 26]; 9(2). Disponível em: http://www.objnursing.uff.br/index.php/nursing/article/view/3116




DOI: https://doi.org/10.5935/1676-4285.20113205