Coping with chronic condition in childhood by family caregivers: a qualitative research

Maria Francilene Leite, Neusa Collet, Isabelle Pimentel Gomes, Laura Helena Montenegro Carneiro da Cunha Kumamoto

Abstract


The objective was to understand the strategies used by caregivers in coping with the chronic condition in childhood. We conducted a qualitative research in a pediatric unit of a public hospital in João Pessoa. Data were collected through semi-structured interview in the first quarter of 2010. The analysis followed the criteria of thematic interpretation. The results showed that caregivers used strategies such as: escape of dialogue and issues arising from the illness, the quest for knowledge and communication with the child trying to educate them about their condition and prepare them for self-care, the pursuit of religiosity as help to cope and accept the child's condition. It was identified that social support is undermined, concentrating care in the figure of the main caregiver. Understand the coping strategies used by families, their beliefs and conflicts favors planning of specific actions in health, avoiding fragile adaptive processes.

Keywords


Chronic Disease; Family; Child Hospitalized; Pediatric Nursing

Full Text:

HTML

References


Moreira PL, Angelo M. Tornar-se mãe de criança com câncer: construindo a parentalidade. Rev lat am enfermagem. 2008 mai-jun; 16(3): 355-61.

Dantas MAS, Collet N, Moura FM, Torquato IMB. Impacto do diagnóstico de paralisia cerebral para a família. Texto & contexto enferm. 2010 abr-jun; 19(2): 229-37.

Holanda ER, Collet N, Costa SFG. Crianças com Síndrome de Down: o significado do cuidar na percepção de mães. Online braz j nurs [Internet]. 2008 mai-ago [acesso em 2010 set 20]; 7(2): [aproximadamente 10 p]. Disponível em: http://www.objnursing.uff.br/index.php/nursing/article/view/j.1676-4285.2008.1443/347

Kohlsdorf M, Costa AL Jr. Estratégias de enfrentamento de pais de crianças em tratamento de câncer. Estud psicol. 2008 jul-set; 25(3):417-29.

Pedro KS, Marcon SS. Perfil e vivência dos cuidadores informais de doentes crônicos assistidos pelo NEPAAF - Núcleo de estudos, pesquisa, assistência e apoio à família. Online braz j nurs. [Internet]. 2007 jan [acesso em2010 set 20]; 6(0): [aproximadamente 10p]. Disponível em: http://www.objnursing.uff.br/index.php/nursing/article/view/653/153.

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 10ª ed. São Paulo: Hucitec-Abrasco; 2007.

Seidl EMF, Tróccoli BT, Zannon CLC. Análise fatorial de uma medida de estratégias de enfrentamento. Psic: teor e pesq. 2001 set; 17(3): 225-34.

Ramos IC, Queiroz MVO, Jorge MSB. Cuidado em situação de doença renal crônica: representações sociais elaboradas por adolescentes. Rev bras enferm. 2008 mar-abr; 61(2): 193-00.

Araújo YB, Collet N, Moura FM, Nóbrega RD. Conhecimento da família acerca da condição Crônica. Texto & contexto enferm. 2009 jul-set; 18(3): 498-05.

Gilbert MJ, Mello DF, Lima RAG. Esperiência de mães de filhos com doença de hirschsprung: subsídios para o cuidado de enfermagem. Esc anna nery rev enferm. 2009 out-dez; 13 (4): 793-01.

Nóbrega VM, Collet N, Silva KLS, Coutinho SED. Rede e apoio social das famílias de crianças em condição crônica. Rev eletr enf [Internet]. 2010 jul-set [acesso em 2010 out 5]; 12(3): 431-40. Disponível em: http://www.fen.ufg.br/revista/v12/n3/pdf/v12n3a03.pdf

Vasconcelos EM [Org]. A espiritualidade no trabalho em saúde. 1ª edição São Paulo: Hucitec; 2006.

Bousso RS, Serafim TS, Misko MD. Histórias de vida de familiares de crianças com doenças graves: relação entre religião, doença e morte. Rev lat am enferm. 2010 mar-abr; 8(2):156-62.

Brito DCS. Cuidando de quem cuida: estudo de caso sobre o cuidador principal de um portador de insuficiência renal crônica. Psicol estud. 2009 jul-set; 14(3): 603-07.

Beck ARM, Lopes MHBM. Cuidadores de crianças com câncer: aspectos da vida afetados pela atividade de cuidador. Rev bras enferm. 2007 nov-dez; 60(6): 670-75.

Guimarães TMR, Miranda WL, Tavares MMF. O cotidiano das famílias de crianças e adolescentes portadores de anemia falciforme. Rev bras hematol hemoter. 2009 jan-fev; 31(1): 9-14.




DOI: https://doi.org/10.5935/1676-4285.20103147