Online braz j nurs

The domiciliary health care and its state of art: a bibliographic study 

A atenção domiciliar à saúde e seu estado da arte: estudo bibliográfico

 Ingrid Meireles Gomes1, Luísa Canestraro Kalinowski1, Maria Ribeiro Lacerda1, Rosangela Martins Ferreira1

 1 Universidade Federal do Paraná, PR, Brasil 

Abstract: Domiciliary care stands out since the decade of 90 as a mode which assists patient and family, understood in the social, economic and cultural contexts. Thus, this research aimed to ascertain the state of the art on domiciliary care. It is a bibliographical research about domiciliary care held between February and May/2008, in databases BDENF, LILACS, OPAS, WHOLIS, COLECIONA SUS, material from the Ministry of Health Library and complete texts at SciELO, using the terms domiciliary attendence, home care and home nursing, and the criterion for inclusion is to have content related to nursing domiciliary care, in a historical record from January 1998 to January 2008. Sixteen thematic categories were listed, of which were emphasized chronic, caregivers and elderly, totaling 103 articles examined. In these three categories stands out: health education, emphasizing the role of the nurse; profile of the caregiver; the advantages of domiciliary care outrunning the disadvantages. The researched bibliography points to the importance of the caregiver and the influence of nurses for the autonomy of the subjects; and the need for articulaton between hospital and community health services, and researches directed to the beyond biologicist vision of the health care.

Keywords: Home Nursing; Nursing; Scientific and Technical Publications. 

Resumo: Atenção domiciliar destaca-se desde a década de 90 como uma modalidade que assiste paciente e família, entendidos no contexto social, econômico e cultural. Assim sendo, esta pesquisa teve o objetivo de conhecer o estado da arte sobre atenção domiciliar. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica sobre atenção domiciliar realizada entre fevereiro e maio de 2008, nas bases de dados BDENF, LILACS, MEDLINE, OPAS, WHOLIS, COLECIONA SUS, Acervo da Biblioteca do Ministério da Saúde e textos completos na SciELO, utilizando os termos atendimento domiciliar, cuidado domiciliar e assistência domiciliar, sendo critério de inclusão ter conteúdo relacionado à atenção domiciliar de enfermagem, num recorte histórico de janeiro de 1998 a janeiro de 2008. Elencaram-se 16 categorias temáticas, das quais ressaltaram-se crônico, cuidador e idoso, totalizando 103 artigos analisados. Nessas três categorias destacam-se educação em saúde, ressaltando o papel do enfermeiro; perfil do cuidador; vantagens da atenção domiciliar sobressaindo-se às desvantagens. A produção bibliográfica pesquisada aponta para a importância do cuidador e a influência do enfermeiro para a autonomia dos sujeitos; e ainda a necessidade de articulação entre os serviços hospitalar e comunitário de saúde e de pesquisas direcionadas para além da visão biologicista da atenção à saúde.

Palavras-chave: Assistência Domiciliar; Enfermagem; Publicações Científicas e Técnicas

Introdução        

A atenção à saúde é um conjunto de estratégias e atividades que abrangem o cuidado com a saúde dos seres humanos, tendo como principais objetivos a promoção, prevenção, reabilitação e tratamento de enfermidades, devendo ser exercida de forma integral(1). Essa atenção à saúde oferecida à população pode ser dividida em diferentes categorias, como a assistência hospitalar e a assistência domiciliar(2).

Na metade do século XX a atenção a saúde restringia-se ao âmbito hospitalar, a partir da década de 90 começa a visualizar a assistência domiciliar como outra forma de cuidado, com menores custos e sem sobrecarregar o sistema de saúde(3).

Atenção domiciliar pode ser entendida como uma modalidade na qual a assistência é prestada ao paciente-família em seu domicílio, sendo realizada por uma equipe multiprofissional e interdisciplinar e busca entender a situação do paciente a partir dos aspectos físico, psíquico, social e espiritual. Envolve o internamento, a visita e o atendimento, sendo que o último também significa assistência domiciliar ou cuidado domiciliar(4).

A importância do enfermeiro no âmbito domiciliar vai além da assistência à doença, destacando-se pela inserção da família no cuidado e pelas práticas de educação em saúde. A atenção domiciliar permite então, a capacitação do paciente e de sua família para o saber cuidar, a reabilitação mais rápida e a vigilância epidemiológica.

Tanto instituições públicas como privadas vem utilizando a atenção domiciliar como estratégia assistencial, na qual o cuidado de enfermagem é norteado por diagnósticos, que estão estabelecidos considerando os fatores ambientais, psicossociais, econômicos, culturais e pessoais de saúde que prejudicam o bem-estar do indivíduo e da família(5).

Sendo o domicílio um espaço assistencial que permite ao enfermeiro atuar com autonomia e por tratar-se de um local que tem uma prática de cuidado em crescimento no sistema de saúde, faz-se importante a realização de uma pesquisa que explicite a situação da produção de conhecimento existente; pois isso possibilitará o indicativo de aspectos teóricos e práticos que necessitam ser desenvolvidos para a melhoria da atenção domiciliar.

            Diante do exposto, esta pesquisa teve por objetivo conhecer o “estado da arte” sobre atenção domiciliar, o que poderá direcionar novas publicações para temas ainda pouco estudados. As pesquisas intituladas “estado da arte” trazem em comum o objetivo de descobrir e questionar a produção de conhecimento sobre um determinado tema, destacando quais aspectos estão mais desenvolvidos e quais necessitam de aprimoramento(6)  

Metodologia 

Trata-se de uma pesquisa bibliográfica, entendida como uma possibilidade de produção de conhecimento que, atentando-se ao objeto de estudo, realiza um conjunto ordenado de procedimentos que buscam soluções, e assim não pode ser aleatório(7).

Para tanto é preciso que aconteça, entre outras etapas, uma correspondente ao levantamento da bibliografia; esta ocorreu entre fevereiro e maio de 2008, com atenção domiciliar (AD) como parâmetro temático, num recorte histórico de janeiro de 1998 a janeiro de 2008, utilizando-se como fonte das bibliografias as bases de dados disponíveis na Biblioteca Virtual de Saúde (Bireme) – Enfermagem, (BDENF, LILACS, MEDLINE, OPAS, WHOLIS, COLECIONA SUS, Acervo da Biblioteca do Ministério da Saúde e textos completos na SciELO), tendo os seguintes critérios de inclusão: publicação em revistas, estar em idioma português e ter conteúdo relacionado à atenção domiciliar de enfermagem. Para uma compreensão do tema atenção domiciliar, foram utilizados na pesquisa os seguintes termos: Atendimento Domiciliar, Cuidado Domiciliar e Assistência Domiciliar.

Para a investigação do material levantado foi utilizada a técnica da leitura, pois é através dela que se pode identificar as informações e os dados contidos no material selecionado, bem como verificar as relações existentes entre eles de modo a analisar a sua consistência(7)

Foram realizadas leituras sucessivas: a primeira foi restrita aos resumos publicados a fim de elaborar uma segunda seleção do material, que possibilitou a divisão temática deste em categorias, como criança, atenção domiciliar privada, parto, mulher, percepção do paciente, ensino da atenção domiciliar, instrumentos para a atenção domiciliar, saúde mental, considerações sobre a atenção domiciliar, ética, morte, estratégia de saúde da família (ESF), idoso, crônico, cuidador.   

Após esta leitura inicial, delimitaram-se as categorias crônico, cuidador e idoso, destinadas à segunda leitura, desta vez reflexiva e abordando o conteúdo integral de 103 artigos. Seguiu-se a esta, uma leitura interpretativa, com a qual foi possível avaliar a contribuição de cada obra para a pesquisa e relacionar as idéias das obras estudadas como um todo.  

Resultados e discussões 

Após a classificação dos artigos selecionados utilizando os termos atendimento, cuidado e assistência domiciliar, nas diferentes bases de dados (quadro I), percebe-se que o termo assistência domiciliar é o mais utilizado nesse tipo de literatura, e, além disso, que o maior número de artigos são encontrados na base de dados LILACS. Nota-se ainda que nas bases de dados COLECIONA SUS, OPAS e WHOLIS não foi encontrado nenhum artigo.

Pode-se verificar no total 2 e 3 (quadro I) que há redução no número de artigos, o que representa que uma quantidade significativa de artigos encontra-se repetido em mais de uma base de dados, e/ou que utilizam em comum mais de um dos termos utilizados nessa pesquisa. Este dado pode ser evidenciado comparando-se o somatório final do total 1 (618 artigos), referente ao total simples e o somatório final do total 3 (209 artigos), referente ao total sem repetições em base de dados e nos diferentes termos.

Quadro I – Classificação dos artigos selecionados para a pesquisa

Caixa de texto: Termos

 

Caixa de texto: Base de dados

 

 

Atendimento Domiciliar

Cuidado

Domiciliar

Assistência

Domiciliar

 

Total 1

 

Total 2

 

Total 3

BDENF

19

72

87

178

178

93

LILACS

35

104

150

289

107

67

MEDLINE

1

16

74

91

57

37

SCIELO

11

13

33

57

21

12

MS

0

1

2

3

0

0

Somatório final

66

206

346

618

363

209

Total 1 – Somatório simples; Total 2 – Somatório sem repetição em diferentes base de dados; Total 3 – Somatório sem repetição em mais de um termo.

 A - Análise de contextualização

Nessa análise, após leitura dos resumos, os artigos anteriormente selecionados foram subdivididos em categorias temáticas (quadro II). Percebe-se que as categorias Cuidador, Considerações sobre a AD, Idoso e Crônico foram os temas mais abordados na literatura pesquisada.

O total dos artigos categorizados aparecem com número superior ao apontado no quadro I (229 artigos), pois 21 artigos foram classificados em mais de uma categoria, como cuidador e idoso.

Quadro II – Categorias temáticas dos artigos selecionados

Cuidador: 56 (24,45%)

Considerações sobre a AD: 35 (15,28%)

Idoso: 26 (11,35%)

Crônico: 21 (9,17%)

Criança: 16 (6,99%)

Saúde Mental: 11 (4,80%)

Instrumento para a AD: 9 (3,93%)

 

ESF: 8 (3,49%)

Morte: 7 (3,06%)

Mulher: 6 (2,62%)

Ensino da AD: 5 (2,18%)

AD Privada: 4 (1,75%)

Parto: 3 (1,31%)

Percepção do paciente: 3 (1,31%)

Ética: 1 (0,44%)

 

Outros: 18 (7,86%)

Observando esta análise, selecionaram-se as categorias apontadas em maior porcentagem, tais como: cuidador, idoso e crônico. Embora a categoria Considerações sobre atenção domiciliar represente 15,28% dos artigos selecionados, não se realizou a reflexão desta, pois trata-se de um assunto muito abrangente que carece de uma pesquisa específica para tal.

 B - Análise dos artigos

Tendo em vista o mapeamento do estado da arte relacionado à atenção domiciliar, passa-se agora à apresentação do conteúdo encontrado nas obras categorizadas em crônico, cuidador e idoso. Além de serem as categorias de maior representatividade, são também assuntos relevantes para a atenção domiciliar. Esta análise realizou-se baseada na leitura integral dos artigos pré-selecionados e para melhor visualização das principais informações encontradas nas categorias, elaboraram-se subcategorias temáticas, conforme quadro abaixo, nas quais subdividiu-se as informações levantadas na leitura, facilitando assim a visualização do contexto geral encontrado nas obras.

Quadro III – Subcategorias temáticas

CRÔNICO

CUIDADOR

IDOSO

Educação/orientação

Características do cuidador domiciliar

Cuidados prestados em domicílio

Interações existentes na atenção domiciliar

Relação enfermeira X familiar cuidador

Vantagens e desvantagens da atenção domiciliar para o idoso

Cuidado familiar

Sentimentos relacionados ao cuidador domiciliar

Doenças crônico-degenerativas na vida do idoso

Perfil do cuidador domiciliar

Cuidados prestados em domicílio

Sentimentos vivenciados pelos idosos

Vantagens e desvantagens da atenção domiciliar

Dificuldades da atenção domiciliar para o cuidador

Metas a serem alcançadas

Sentimentos envolvidos no cuidado ao paciente crônico

Considerações gerais do cuidador sobre a atenção domiciliar

Considerações gerais sobre a atenção domiciliar ao idoso

Considerações gerais sobre a atenção domiciliar

 

 

- Categoria Crônico

Paciente crônico é um paciente que, pelo fato de ter ciência da cronicidade de tal doença, tem um perfil particular e requer cuidados de enfermagem permanentes por ter, muitas vezes, sua vida alterada como um todo. É por ser um paciente que requer uma atenção continuada que a atenção domiciliar é uma alternativa de atendimento à sua saúde, permitindo que ele assimile sua doença dentro dos limiares mais próximos da normalidade.

            A subcategoria Educação /orientação aborda a importância do papel educativo da atenção domiciliar para o paciente e para o familiar, apontando também a relação entre ensino e aprendizagem, a necessidade de campanhas preventivas nesse tipo de atendimento de saúde, e o déficit de conhecimento do profissional e do familiar. A importância da educação, a orientação como intervenção no controle ineficaz do regime terapêutico e o déficit de conhecimento(8), exemplificam citações encontradas nessa subcategoria temática. 

As interações existentes na atenção domiciliar foram citadas tanto na relação profissional-familiar, quanto na relação profissional-paciente. Em relação ao cuidado familiar foi levantada a importância da família na recuperação do paciente, a necessidade de apoio emocional aos familiares, as alterações intrafamiliares decorrentes do cuidado domiciliar, benéficas, e principalmente maléficas e a dificuldade socioeconômica vivenciada pela família.

O perfil do cuidador domiciliar aponta para as seguintes características: cuidador familiar, busca de conforto na religiosidade, predominância feminina, com dedicação exclusiva, que adquire essa função por falta de opção, por escolha própria ou por decisão da família como um todo.

Sobre vantagens da atenção domiciliar foram mencionados: envolvimento do paciente no autocuidado, acolhimento emocional, melhora do paciente, economia, melhoria no atendimento, maior rotatividade dos leitos hospitalares, menor permanência no hospital, humanização do cuidado, cuidado familiar e não apenas individual. Sobre desvantagens foram elencados: o risco de contaminação do cuidador no caso de doenças contagiosas; a dificuldade de adesão ao tratamento. Pode-se perceber que as vantagens da atenção domiciliar sobressaem-se às desvantagens.

Os sentimentos envolvidos no cuidado ao paciente crônico referem-se ao sofrimento psíquico dos pacientes e do familiar, ao enfrentamento da morte e à ambigüidade de sentimentos. Os principais sentimentos referentes ao paciente são revolta, negação, tristeza/angústia, e dependência; já em relação aos cuidadores os sentimentos predominantes são: preocupação, insegurança, medo, culpa, e também negação e angústia. Apesar dos sentimentos serem predominantemente negativos, percebeu-se forte ambigüidade em relação a eles. 

E por fim nas considerações gerais sobre a atenção domiciliar apresenta-se outros itens relevantes abordadas nessa categoria: a visita domiciliar, a importância do enfermeiro na atenção domiciliar, definições e objetivos desta, recursos como o Programa de Assistência Domiciliar (PAD), cuidados paliativos e o cuidado domiciliar entendido com uma opção terapêutica e não como única alternativa.

- Categoria Cuidador

O cuidador é um tema de grande relevância, por isso uma categoria destinada a ele merece destaque. Ele é o componente-chave no processo de cuidar, pois é quem faz a ligação entre o paciente, a família, a enfermeira e os demais membros da equipe de saúde(9).

As características do cuidador domiciliar revelam que a grande maioria dos cuidadores é do sexo feminino, quase sempre filhas ou esposas dos pacientes, muitos são idosos ou estão adoecidos, cansados pela sobrecarga de funções, sem atenção ao cuidado de si. Ressalta-se ainda que poucas famílias contratam profissionais para o cuidado de seus familiares e que a religiosidade é citada como fonte de apoio e até mesmo de cura.

A relação enfermeira X cuidador familiar mostra que no contato entre família e equipe multiprofissional da ESF, a enfermeira merece destaque, sendo mencionada como membro referência de confiança das famílias. Os familiares recorrem à enfermeira em diferentes situações; sabem que ela estará disposta a ajudá-los no que estiver ao seu alcance, como momentos de angústias, incerteza e aflição(10)

Nos sentimentos relacionados ao cuidador familiar estão presentes: compromisso, solidariedade, depressão, esgotamento, satisfação, pena, solidão, tristeza, cansaço, amor, compaixão, culpa, entre outros. A ambigüidade dos sentimentos é observada em várias falas, pois há relatos de satisfação e cansaço na mesma situação, evidenciando uma confusão de sentimentos.

Na relação dos cuidados prestados em domicílio são observados: administração de medicamentos, auxílio na movimentação, higiene, realização de curativos, auxílio na alimentação, segurança e eliminações, dentre outros.

Nas dificuldades na atenção domiciliar para o cuidador destacam-se: situação financeira precária; falta de preparo dos cuidadores; falta de infra-estrutura no domicílio; pouco conhecimento sobre a doença e suas especificidades; dificuldade de manejo do paciente e cuidado limitado a uma pessoa apenas. Nas considerações gerais do cuidador sobre a atenção domiciliar constata-se principalmente a necessidade de orientação e preparo dos cuidadores.

- Categoria idoso

Cada idoso é um ser singular, que sofreu influência durante a sua vida de fatores fisiológicos, patológicos, culturais, sociais, econômicos e psicológicos, que podem interferir na sua qualidade de vida(11). Por suas características peculiares o idoso é um ser único, que requer atenção diferenciada.

Os cuidados prestados em domicílio abordam principalmente a supervisão profissional aos cuidadores informais; curativos; administração de medicamentos; higiene corporal; auxílio na alimentação; administração de oxigênio e nebulização; identificação de sinais e sintomas relacionados às doenças; ajuda para deambulação.

            No caso das vantagens e desvantagens da atenção domiciliar para o idoso, são demonstrados mais benefícios do que malefícios; as vantagens são: diminuição de custos; diminuição do risco de infecção; comodidade; prevenção e detecção precoce de problemas de saúde. Já as desvantagens incluem isolamento social e falta de infra-estrutura e de recursos materiais no domicílio. O cuidado domiciliar resulta em comodidade para o idoso, pois facilita o acesso ao serviço de saúde; entretanto, esta comodidade pode acarretar afastamento social do idoso e pode ser prejudicial, já que a integração e o contato social são imprescindíveis para uma melhor qualidade de vida(12).

            As doenças crônico-degenerativas na vida do idoso ocasionam a necessidade de um cuidado mais complexo; as conseqüências para a vida do idoso, envolvendo dor, uso exagerado de medicamentos, depressão e incapacidade funcional.

            Os sentimentos vivenciados pelos idosos indicam que os principais sentimentos dos idosos com relação a sua condição de vida e saúde são negativos, e entre eles destacam-se: dependência física; medo da morte; impotência; tristeza; solidão; irritabilidade; inutilidade; insegurança; falta de conhecimento sobre sua doença.

            Já as metas a serem alcançadas dão destaque a promover a autonomia e independência do idoso; elaborar novas políticas públicas e sociais; reinserir o idoso na comunidade através de ações comunitárias.

            E nas considerações gerais sobre a atenção domiciliar ao idoso encontra-se a definição e objetivos do cuidado domiciliar; a importância da educação em saúde e os recursos utilizados para embasar esta assistência, tais como: PAD, Grupo de Atenção à Saúde do Idoso (GRASI) e a Política Nacional de Saúde do Idoso. É importante a construção de um programa educativo que focalize informações relacionadas com o cuidado à saúde e estimule o autocuidado, a independência e a autonomia do idoso(11).    

            Correlacionando as categorias selecionadas, destaca-se a educação em saúde, tanto para o paciente como para o cuidador, pois é um fator significante para que a atenção domiciliar seja efetiva. Apresentando grande relevância para a recuperação do paciente, acredita-se que esta educação deve ser realizada em diferentes ocasiões: na alta hospitalar, na unidade de saúde e em todas as visitas domiciliares.

Diante disto ressalta-se o papel do enfermeiro, pois cabe a ele identificar as necessidades de educação em saúde e trabalhá-las, aproveitando as diferentes oportunidades para atuar nesse sentido, seja em âmbito hospitalar direcionando o paciente ao autocuidado domiciliar, ou na própria visita domiciliar.

            A predominância do cuidador feminino é a característica de maior relevância frente ao perfil do cuidador exposto anteriormente. A divergência mais significativa deste perfil, entre as categorias, está relacionada ao adoecimento e idade avançada, visto que na categoria crônico, diferentemente das demais categorias, estas não são características do cuidador, por ele ser, em sua maioria, pais de crianças com doenças crônicas e, por isso, mais jovem.

            Das vantagens relacionadas à atenção domiciliar destaca-se a redução de custos, a rotatividade de leitos hospitalares, o apoio da família ao paciente e a melhoria do atendimento; das dificuldades emerge a falta de infra-estrutura, a baixa condição sócio-econômica da família e o déficit de conhecimento/preparo do cuidador não profissional. Contudo, de maneira geral, percebe-se maior ênfase às vantagens que às desvantagens desse tipo de atenção à saúde. 

Considerações finais 

Numa visão geral dos 103 artigos selecionados e analisados destaca-se o familiar cuidador como principal tema abordado, reconhecendo que o mesmo tem sua rotina e relações sociais modificadas, além de assumir múltiplas funções. Percebe-se que entender o familiar como colaborador no cuidado domiciliar é imprescindível para a equipe de saúde, pois apenas com o envolvimento efetivo deste com a equipe é que será viável um cuidado integral e de qualidade ao paciente.

Sendo um dos objetivos do enfermeiro no cuidado domiciliar habilitar o indivíduo e sua família à realização de um efetivo cuidado em saúde, ele favorece a autonomia dos sujeitos, além de ser facilitador e mediador na relação entre esses e a equipe multiprofissional. 

A desagregação entre os serviços de saúde hospitalar e comunitário representa um obstáculo ao cuidado integral e de qualidade, pois a escassez de informações entre esses serviços impede atender o paciente em todas suas particularidades.  Visto que são atribuições do enfermeiro planejar, gerenciar, coordenar, executar e avaliar o cuidado, é possível viabilizar meios de articulação entre esses dois serviços de saúde, contando principalmente com políticas e sensibilidade dos gestores da saúde.

A predominância da visão biologicista pôde ser percebida na categorização das publicações selecionadas sobre a atenção domiciliar, embora esta tenha uma concepção epidemiológica característica.

Portanto, identifica-se a necessidade de maior produção científica direcionada a questões teórico-filosóficas da atenção domiciliar que considerem as correntes filosóficas, teorias, conceitos, habilidades e atitudes que norteiam o saber e o fazer em enfermagem domiciliar, assim como trabalhos que abordem aspectos das políticas e práticas de saúde e a atenção domiciliar, apreciando as tecnologias aplicadas ao campo da atenção domiciliar.

Espera-se que este texto possa fomentar a construção de pesquisas e publicações que nortearão uma prática de cuidado domiciliar, que seja mais eficaz e envolva planejamento, coordenação e adequação a cada paciente, ao contexto do lar e aos seus familiares cuidadores.   

Referências

1. Ministério da Saúde. (Brasil) Atenção à saúde. [online] [Acesso em 20 maio 2008]. Disponível em:http://portal.saude.gov.br/portal/saude/visualizar_texto.cfm?idtxt=27148

2. Venturi KK, Lacerda MR, Oliniski SR, Giacomozzi CM, Truppel TC. The kinds of home health care and the practice of health professionals - exploratory and descriptive research. Online Braz J Nurs [periódico online] 2007;6(0). [Acesso em 20 maio 2008] Disponível em:http://www.uff.br/objnursing/index.php/nursing/article/view/557/127

3. Senne AA. Atendimento domiciliar ou Home Care: a modalidade de atenção à saúde no domicílio. Mundo Saúde. 2002;26(2):295-8.

4. Giacomozzi CM, Lacerda MR. A prática da assistência domiciliar dos profissionais da estratégia de saúde da família. Texto & Contexto Enferm 2006;15(4):645-53.

5. Paz AA, Santos BRL. Programas de cuidado de enfermagem domiciliar. Rev. Bras. Enferm. 2003;56(5):538-41.

6. Ferreira NSA. As pesquisas denominadas “estado da arte”. Educ Soc 2002;23(79):257-72.

7. Lima TCS, Mioto RCT. Procedimentos metodológicos na construção do conhecimento científico: a pesquisa bibliográfica. Rev katálysis 2007;10(esp):37-45.

8. Meireles VC, Oliveira MLF, Matsuda LM, Marcon SS. Diagnósticos e ações de enfermagem a portadores de doenças crônicas assistidos no domicílio. Cogitare Enferm 2005;10(3):37-43.

9. Lacerda MR, Oliniski SR. A família e a enfermeira no contexto domiciliar: dois lados de uma realidade. Texto & Contexto Enferm 2003;12(3):307-13.

10. Lacerda MR, Oliniski SR. Familiares Interagindo com a enfermeira no contexto domiciliar. Rev Gaúch Enferm 2005;26(1):76-87.

11. Diogo MJD, Ceolim MF, Cintra FA. Implantação do grupo de atenção à saúde do idoso (GRASI) no Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas (SP): relato de experiência. Rev Latinoam Enferm 2000;8(5):85-90.

12. Rodrigues MR, Bretãs ACP. O significado da assistência domiciliária para o idoso e/ou seu cuidador familiar matriculados em um programa público de assistência domiciliária ao idoso. Acta Paul Enferm 2002;15(3):60-71.   

 

Contribuição dos autores: Concepção e desenho: Maria Ribeiro Lacerda, Ingrid Meireles Gomes, Luísa Canestraro Kalinowski; Análise e interpretação: Maria Ribeiro Lacerda, Ingrid Meireles Gomes, Luísa Canestraro Kalinowski, Rosangela Martins Ferreira; Escrita do artigo: Ingrid Meireles Gomes, Luísa Canestraro Kalinowski, Rosangela Martins Ferreira; Revisão crítica do artigo: Maria Ribeiro Lacerda, Ingrid Meireles Gomes, Luísa Canestraro Kalinowski; Aprovação final do artigo: Maria Ribeiro Lacerda, Ingrid Meireles Gomes, Luísa Canestraro Kalinowski; Colheita de dados: Ingrid Meireles Gomes, Luísa Canestraro Kalinowski, Rosangela Martins Ferreira; Pesquisa bibliográfica: Ingrid Meireles Gomes, Luísa Canestraro Kalinowski, Rosangela Martins Ferreira 

Endereço para correspondência: Maria Ribeiro Lacerda. Rua Padre Camargo, 280 - 8º andar. Alto da Glória. Curitiba - Paraná. CEP: 80060-240. E-mail: lacerda@milenio.com.br