Online braz j nurs

Stress and coping of nursing team in the breast cancer woman care – preview note.

STRESS E COPING DA EQUIPE DE ENFERMAGEM NO CUIDADO À MULHER COM CÂNCER DE MAMA – NOTA PRÉVIA

Rafaela Andolhe1; Laura de Azevedo Guido2

1-Mestranda em Enfermagem pela UFSM; 2 orientadora e Professora Adjunto do Depto. Enfermagem da UFSM

Abstract: This study has as aim identifies the pointed estressores for the nursing team of the Tocoginecological Unit in the patients' care with breast cancer, as well as knowing the strategies of coping more used by them. It is a descriptive research, of field and with quantitative approach to be developed at University Hospital in the center of the state of Rio Grande do Sul, Brazil. Two instruments will be used: Form for the rising of the adapted of Bianchi daily activities (1999) and Inventory of coping of Jalowiec (1987). The data statistically will be analyzed and the results will allow proposing intervention programs that seek to the quality of those professionals' life in the work.

Key words: Stress, breast neoplasm, nursing.

Resumo: Este estudo tem como objetivo identificar os estressores apontados pela equipe de enfermagem da Unidade Tocoginecológica no cuidado de pacientes com câncer de mama, assim como conhecer as estratégias de enfrentamento mais utilizadas pela mesma. Trata-se de uma pesquisa descritiva, de campo e com abordagem quantitativa a ser desenvolvida em Hospital Universitário no interior do Rio Grande do Sul. Serão utilizados dois instrumentos: Formulário para o levantamento das atividades diárias adaptado de Bianchi (1999) e Inventário de coping de Jalowiec (1987). Os dados serão analisados estatisticamente e os resultados permitirão propor programas de intervenção que visem à qualidade de vida desses profissionais no trabalho.

Palavras-chave: Stress, câncer de mama, enfermagem. 

SITUAÇÃO PROBLEMA

            O câncer de mama tem sido reconhecido como uma importante causa de mortalidade feminina, sendo considerado um problema de saúde púbica no Brasil 1. Trata-se de uma doença que pode representar stress para a mulher pela tensão, medo e ansiedade que provoca.

Na prática pré-profissional, ao atuar-se em Unidade Tocoginecológica na assistência de enfermagem à mulher com câncer de mama, foi possível observar o desgaste físico e mental da equipe de enfermagem em relação à assistência prestada a essas mulheres, independente do estágio da doença; ao convívio com uma alta rotatividade de acadêmicos de enfermagem, de medicina e de residentes, assim como ao ambiente de trabalho de maneira geral. Tal evidência e vivência, por vezes, fez emergir preocupações acerca da motivação e interesse da referida equipe em dar continuidade às ações de cuidado propostas no estágio de conclusão de curso.

Em face dessas considerações, julga-se relevante a identificação dos estressores apontados pela equipe de enfermagem da Unidade Tocoginecológica no cuidado de pacientes com câncer de mama, assim como conhecer as estratégias de enfrentamento mais utilizadas pela mesma. 

OBJETIVOS

            Conhecer as situações de stress da equipe de enfermagem da Unidade Tocoginecológica, no cuidado pré e pós-operatório da paciente cirúrgica de câncer de mama, por meio da validação da adaptação de instrumento à realidade de estudo. Ainda, identificar as estratégias de enfrentamento utilizadas pela referida equipe, visando à qualidade de vida no trabalho. 

METODOLOGIA

Trata-se de um estudo descritivo, exploratório e de campo, com abordagem quantitativa, a ser desenvolvida na Unidade Tocoginecológica de um Hospital Universitário, no interior do estado do Rio Grande do Sul. A população de estudo compreende a equipe de enfermagem da unidade, que corresponde a 29 servidoras do sexo feminino.

Para a coleta de dados, serão utilizados os seguintes instrumentos: Formulário para o levantamento das atividades diárias2, adaptado, liberado e aceito pela autora em 2007, que visa à identificação dos estressores; e Inventário de estratégias de coping 3, que permite identificar o estilo de coping mais utilizado no enfrentamento do stress.

Os dados serão organizados em uma planilha eletrônica, onde serão distribuídas as variáveis do estudo, para que, posteriormente, possam ser analisadas eletronicamente com o auxilio dos programas SAS – versão 8.02 e Statistica – versão 7.1. Também, serão utilizados testes paramétricos ou não paramétricos para a análise dos resultados.

REFERÊNCIAS:

1. Azevedo RF, Lopes RLM. Vivência do diagnóstico de câncer de mama e de mastectomia radical: percepção do corpo feminino a partir da fenomenologia. Online Brazilian Journal of Nursing. 2006; 5 (1): [online] [acesso em 2008 Fev 20]. Disponível em: http://www.uff.br/objnursing/index.php/nursing/article/viewArticle/137/38.

2. Bianchi ERF. Stress entre enfermeiros hospitalares [livre docência]. São Paulo: EEUSP/Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo; 1999.

3. Jalowiec A. Jalowiec coping scale (revised). Unpublished manuscript. Chicago: University of Illinois; 1987.

Dados do projeto: Projeto de pesquisa Aprovado no CEP/UFSM em 10/12/2007, sob parecer nº 23081.016744/2007-73 e pela banca de qualificação em 20/12/2007 composta por: Laura da Azevedo Guido, Drª (Presidente/Orientadora), Luís Felipe Dias Lopes, Dr (UFSM), Carmem Lúcia Colomé Beck, Drª (UFSM), Estela Regina Ferraz Bianchi, Drª (EE/USP), Adelina Giacomelli Prochnow, Drª (UFSM). Desenvolvido junto ao Programa de Pós-Graduação – Mestrado em Enfermagem da Universidade Federal de Santa Maria.

Apoio financeiro: Bolsa de estudos CAPES.

Endereço para correspondência: Travessa D. Luíza, nº 490, Aptº 405, Ed. Vega, bl. II, Br. Nª Srª do Rosário, Santa Maria, RS. Cep.: 97010-160.