5243pt

NOTAS PRÉVIAS

 

O desenvolvimento do pensamento crítico na formação de enfermeiros: estudo experimental

 

Diana Paula de Souza Rego Pinto Carvalho1, Giovanna Karinny Pereira Cruz1, Isabelle Campos de Azevedo1, Priscila Fernandes Meireles1, Allyne Fortes Vitor1, Marcos Antonio Ferreira Júnior1

1Universidade Federal do Rio Grande do Norte

 


RESUMO
Objetivo: comparar os níveis de pensamento crítico desenvolvidos durante a formação clínica do enfermeiro mediante uma intervenção de ensino com auxílio de mapas conceituais.
Método: estudo experimental, randomizado, duplo-cego com delineamento antes-depois a ser realizado com os estudantes dos cursos de graduação em enfermagem de uma instituição de ensino superior pública. O projeto foi submetido à apreciação ética conforme Resolução nº. 466/12 do Conselho Nacional de Saúde e aprovado com parecer nº 752.501 01/08/2014. Os dados serão coletados por meio do instrumento California Critical Thinking Skills Test e de um questionário socioeconômico mediante uma intervenção de ensino. Para a verificação da normalidade/simetria dos dados numéricos, será aplicado o Teste de Shapiro-Wilk e para a análise dos dados será utilizado o teste T de Student para comparação das médias e o teste Qui-Quadrado de Pearson para verificar a associação entre as variáveis com intervalo de confiança de 95%.
Descritores: Enfermagem; Educação Superior; Pensamento; Aprendizagem.


 

SITUAÇÃO PROBLEMA E SUA SIGNIFICÂNCIA

Em relação ao ensino na área da saúde, com destaque para a formação de enfermeiros, se tem um ambiente contemporâneo caracterizado pela rápida evolução e aumento do conhecimento científico produzido. Isto, pois, atualmente, os profissionais precisam desenvolver cada vez mais habilidades de pensamento crítico (PC) para apresentarem bons resultados em suas atividades práticas, com a prestação de uma assistência flexível, individualizada e resolução de problemas específicos a cada situação(2).

Pensar criticamente significa promover, durante a formação inicial, condições para que os egressos saibam utilizar todo conhecimento produzido até o momento, bem como buscar por fontes que alimentem o rol de conhecimentos novos e saber direcioná-los para as situações práticas de aplicação, com capacidade de avaliação ímpar para cada caso.

Nesse contexto, a promoção da capacidade de desenvolvimento de PC em estudantes de graduação em enfermagem tornou-se uma das tarefas mais imperativas para o ensino neste nível de formação, que deveria constituir um objetivo comum a todos os cursos que se propõem a formar enfermeiros.

Portanto, é objeto de estudo dessa pesquisa o desenvolvimento do PC em estudantes de graduação em enfermagem, proposta esta embasada na abordagem cognitivista de ensino, apoiada na Teoria da Aprendizagem Significativa (TAS) de David Paul Ausubel e aplicada como estratégia de ensino por meio dos mapas conceituais (MC) de Joseph Donald Novak.

 

HIPÓTESE

Estratégias de ensino mediadas por estudos de casos clínicos associados à elaboração de mapas conceituais promovem o desenvolvimento do PC de forma mais efetiva.

 

OBJETIVO

Comparar os níveis de pensamento crítico desenvolvidos durante a formação clínica do Enfermeiro, mediante uma intervenção de ensino com uso de mapas conceituais.

 

MÉTODO

Trata-se de um estudo de avaliação com abordagem quantitativa, do tipo experimental, com delineamento antes-depois, randomizado e duplo-cego. A composição dos grupos controle e intervenção serão realizadas com alocação dos sujeitos de forma aleatória, com o cuidado de pareamento entre os dois grupos por seriação de formação dos sujeitos.

Este estudo abordará uma proposta de formação com vistas à aprendizagem e capacidade de desenvolvimento do PC nos estudantes do curso de graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Serão considerados elegíveis para o estudo apenas os estudantes matriculados a partir do sexto período do curso de graduação em enfermagem, que correspondem a aproximadamente 260 sujeitos. Serão excluídos da amostra estudantes que possuam o curso técnico de enfermagem ou que já tenham participado de cursos profissionalizantes ou de aperfeiçoamento sobre o suporte básico ou avançado de vida.

A coleta de dados acontecerá em dois momentos, o pré-teste e pós-teste, antes e depois da intervenção, por meio do instrumento California Critical Thinking Skills Test e de um questionário socioeconômico, mediante uma intervenção de ensino.

A intervenção será um curso de modalidade presencial, com carga horária total de 64 horas, com dois encontros semanais com duração de quatro horas cada, num total de dezesseis encontros sobre Suporte Avançado de Vida (SAV), no período de janeiro a maio de 2016, conforme cronograma previsto no projeto submetido à apreciação do Comitê de Ética, em respeito à Resolução nº. 466/12 do Conselho Nacional de Saúde, e aprovado com parecer nº 752.501 01/08/2014.

A única diferença entre os grupos será a estratégia de ensino utilizada, isto é, o tratamento aplicado ao grupo intervenção. Para o grupo controle será utilizado o método tradicional de ensino associado a estudos de casos clínicos e para o grupo intervenção será utilizado o método de ensino com embasamento teórico-metodológico na TAS, aplicado por meio de MC associados a estudos dos mesmos casos clínicos aplicados ao grupo controle.

O conteúdo selecionado para fazer parte desse estudo é um assunto comum nos cursos de graduação em enfermagem e deve seguir um rigor científico e metodológico sugerido pela American Heart Association (AHA) divulgados em suas diretrizes atualizadas a cada cinco anos e serve como referência para todos os profissionais de saúde.

O conhecimento sobre o SAV consiste em um requisito obrigatório aos enfermeiros de cuidados críticos. Este tópico de ensino foi selecionado com a intenção de promover um aprimoramento dos conhecimentos específicos nessa área e melhorar as chances de sobrevivência de pacientes que sofrem parada cardiorrespiratória no ambiente intra-hospitalar(3). Assim, a educação será uma componente importante de uma transição para a implementação dessas mudanças.

Quanto à análise dos dados, será realizada, inicialmente, a verificação da normalidade/simetria dos dados numéricos por meio do Teste de Shapiro-Wilk; para comparação das médias será utilizado o teste T de Student; e o teste Qui-Quadrado de Pearson será empregado para verificar a associação entre as variáveis, com intervalo de confiança de 95%.

 

REFERÊNCIAS

1. Waterkemper R, Prado ML. Estratégias de ensino-aprendizagem em cursos de graduação em enfermagem. Av Enferm. 2011; XXIX (2):234-246.

2. Kong L, Qin B,ZhouY, Mou S, Gao H. The effectiveness of problem-based learning on development of nursing students’ critical thinking: A systematic review and meta-analysis.Int J Nurs Stud. 2014; 51(3):458–469.

3. Williams NM. Advanced life support training and assessment: A literature review. Australas Emerg Nurs J. 2011; 14(4):240-245.

 

 

Dados do Projeto

Projeto de Tese de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Trata-se de um projeto com financiamento pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ) aprovado no Edital Universal de 2014.

 

 

Todos os autores participaram das fases dessa publicação em uma ou mais etapas a seguir, de acordo com as recomendações do International Committe of Medical Journal Editors (ICMJE, 2013): (a) participação substancial na concepção ou confecção do manuscrito ou da coleta, análise ou interpretação dos dados; (b) elaboração do trabalho ou realização de revisão crítica do conteúdo intelectual; (c) aprovação da versão submetida. Todos os autores declaram para os devidos fins que são de suas responsabilidades o conteúdo relacionado a todos os aspectos do manuscrito submetido ao OBJN. Garantem que as questões relacionadas com a exatidão ou integridade de qualquer parte do artigo foram devidamente investigadas e resolvidas. Eximindo, portanto o OBJN de qualquer participação solidária em eventuais imbróglios sobre a matéria em apreço. Todos os autores declaram que não possuem conflito de interesses, seja de ordem financeira ou de relacionamento, que influencie a redação e/ou interpretação dos achados. Essa declaração foi assinada digitalmente por todos os autores conforme recomendação do ICMJE, cujo modelo está disponível em http://www. objnursing.uff.br/normas/DUDE_final_13-06-2013.pdf

 

 

Recebido: 23/06/2015
Revisado: 20/07/2015
Aprovado: 20/07/2015