5019pt

NOTAS PRÉVIAS

 

Estudo descritivo das percepções do aluno adolescente sobre saúde: uma perspectiva merleaupontiana

 

Ligia Cordeiro Matos Faial1, Rose Mary Costa Rosa Andrade Silva1, Eliane Ramos Pereira1

1Universidade Federal Fluminense

 


RESUMO
Projeto de dissertação do Mestrado Profissional em Ensino na Saúde, da Universidade Federal Fluminense.
Objetivo: compreender a percepção do aluno sobre o serviço de saúde desenvolvido na escola e construir, tomando como base a fala do aluno, uma proposta de intervenção com foco na proteção, prevenção e promoção da saúde do adolescente.
Método: estudo descritivo de abordagem qualitativa. A pesquisa será de campo, com enfoque fenomenológico e o referencial teórico de Maurice Merleau-Ponty. O estudo será realizado no Instituto Federal Fluminense, campus Bom Jesus do Itabapoana, e os sujeitos serão adolescentes de 14 a 18 anos matriculados no primeiro ano do ensino médio. A pesquisa pretende estruturar o cuidado com a saúde do adolescente no seu ambiente educacional.
Descritores: Saúde Escolar; Cuidados de Saúde; Adolescentes.


 

SITUAÇÃO PROBLEMA E SUA SIGNIFICÂNCIA

A adolescência caracteriza-se por transformações físicas, psicológicas e sociais, com mudanças no desenvolvimento e formação do indivíduo. Equivocadamente entendida como o período com menor chance de adoecimento e morte, é a fase na qual os jovens estão expostos à díade vulnerabilidade-risco, como uso de bebidas alcoólicas e drogas, violência, práticas sexuais precoces e desprotegidas, gravidez indesejada, doenças sexualmente transmissíveis(1).

Ao destacar o cuidado ao adolescente, as iniciativas remontam a 1989, com a criação do Programa Saúde do Adolescente (PROSAD) pelo Ministério da Saúde; e em 2007, a parceria com o Ministério da Educação institui o Programa Saúde na Escola (PSE)(2). Apesar das iniciativas governamentais, na prática, observa-se que a assistência ao adolescente continua desarticulada.

Nessa problemática, torna-se pertinente a construção de estratégias efetivas na atenção básica para a redução dos agravos evitáveis e a promoção da saúde dos jovens. Acredita-se ser necessária a estruturação do serviço na integralidade da assistência priorizando as atividades preventivas, educativas e coletivas, contextualizadas de acordo com o meio socioeconômico e cultural do indivíduo. Essa atitude seria oportuna para a criação de vínculos e a interação com os jovens, tendo como foco o autocuidado em saúde(3).

 

QUESTÕES NORTEADORAS

  1. Qual é a percepção do aluno acerca do serviço de saúde desenvolvido na escola?
  2. Como o aluno percebe o serviço de saúde na sua formação?

 

OBJETIVOS

Compreender a percepção do aluno sobre o serviço de saúde desenvolvido na escola; descrever como o aluno percebe essa atividade na sua formação; construir, tomando como base a fala do aluno, uma proposta de intervenção com foco na prevenção, proteção e promoção da saúde do adolescente.

 

MÉTODO

Trata-se de um estudo exploratório, descritivo, com abordagem qualitativa na perspectiva fenomenológica merleaupontiana. Esse método buscará a essência do fenômeno em questão. O estudo será realizado no Instituto Federal Fluminense, campus Bom Jesus do Itabapoana, no estado do Rio de Janeiro. Como critérios de inclusão, alunos de 14 a 18 anos, matriculados no primeiro ano do ensino médio. Acredita-se que a avaliação médica compulsória aos ingressos no primeiro ano permitirá uma convivência maior com o serviço, capaz de estreitar o vínculo e aumentar a participação da saúde como apoio e facilitadora do processo de formação do jovem. Logo, entende-se como período ideal para a coleta de dados os três últimos meses do ano letivo de 2014. Como critérios de exclusão, mencionam-se os alunos matriculados no segundo e terceiro anos, devido à ausência da avaliação médica periódica, o que contribui para dispersar o convívio com o serviço de saúde e prejudicar a avaliação do estudo.

Em termos de coleta, serão apresentadas ao aluno e seu responsável a proposta do estudo, a leitura e explicações do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, e o termo de assentimento para o aluno menor, a fim de sanar dúvidas possíveis, de acordo com as especificações éticas e legais da resolução nº 466/12.

Os sujeitos serão abordados pela pesquisadora e ocorrerá a entrevista fenomenológica, mediada por duas perguntas norteadoras: Qual é a percepção do aluno acerca do serviço saúde desenvolvido na escola? Como o aluno percebe o serviço saúde na sua formação? Após a transcrição, leitura e releitura, os dados sofrerão a categorização. Serão formadas as unidades de significado e, assim, capta-se a essência do fenômeno - ou seja, aquilo que persiste diante das variações que aparecem nos dados, a fim de subsidiar a elaboração da proposta de intervenção.
Acredita-se que este estudo trará contribuições no campo da saúde e da educação, sobretudo na estruturação do cuidado da saúde do adolescente no ambiente escolar.

 

REFERÊNCIAS

1. Ministério da Saúde (Brasil), Secretaria de Atenção à Saúde, Área de Saúde do Adolescente e do jovem. Marco Legal: saúde, um direito de adolescentes. Brasília: Ministério da Saúde; 2007. p.7-10.

2. Brasil. Decreto n° 6286, de 05 de dezembro de 2007. Institui o Programa Saúde na Escola – PSE, e dá outras providências [ internet ]. Diário Oficial [ da ] República Federativa do Brasil. 2007 dez 05 [ cited 2013 nov 15 ]. Available from: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6286.htm

3. Gurgel GI, Alves MDS, Ximenes LB, Vieira NFC, Beserra EP, Gubert FA. Integrative Review: Teenage Pregnancy Prevention and Compentencies of the Nurse to the Promotion of Health. Online Braz J of Nurs [ internet ]. 2011 [ cited 2014 Feb 15 ] 10(3):[ about 13 p. ]. Available from: http://www.objnursing.uff.br/index.php/nursing/issue/view/29. DOI:http://dx.doi.org/10.5935/1676-4285.20113586

 

Dados do projeto:
Projeto de dissertação do Programa de Mestrado Profissional em Ensino na Saúde da Universidade Federal Fluminense (MPES/UFF), aprovado em 14 de março de 2014 por banca examinadora composta pelos professores-doutores: Rose Mary Costa Rosa Andrade Silva, Eliane Ramos Pereira e Cláudia Mara de Melo Tavares.

 

Todos os autores participaram das fases dessa publicação em uma ou mais etapas a seguir, de acordo com as recomendações do International Committe of Medical Journal Editors (ICMJE, 2013): (a) participação substancial na concepção ou confecção do manuscrito ou da coleta, análise ou interpretação dos dados; (b) elaboração do trabalho ou realização de revisão crítica do conteúdo intelectual; (c) aprovação da versão submetida. Todos os autores declaram para os devidos fins que são de suas responsabilidades o conteúdo relacionado a todos os aspectos do manuscrito submetido ao OBJN. Garantem que as questões relacionadas com a exatidão ou integridade de qualquer parte do artigo foram devidamente investigadas e resolvidas. Eximindo, portanto o OBJN de qualquer participação solidária em eventuais imbróglios sobre a materia em apreço. Todos os autores declaram que não possuem conflito de interesses, seja de ordem financeira ou de relacionamento, que influencie a redação e/ou interpretação dos achados. Essa declaração foi assinada digitalmente por todos os autores conforme recomendação do ICMJE, cujo modelo está disponível em http://www.objnursing.uff.br/normas/DUDE_final_13-06-2013.pdf

 

 

Recibido: 18/08/2014
Revisado: 29/09/2014
Aprobado: 29/09/2014