02-v2n1-3000-articles

ARTIGOS ORIGINAIS

 

Desenvolvimento de um centro de cuidados de enfermagem


Clélia Mozara Giacomozzi1, Fabiana de Andrade1, Maria Ribeiro Lacerda1, Magda Nanuck G. H. R. Pinto1, Maria Marta Nolasco Chaves1, Liliana M. Larocca1

1Paraná Federal University

 


RESUMO
Um estabelecimento que constitua uma inovação e um meio de ampliação dos cenários de prática da universidade torna-se importante por configurar uma atividade acadêmica muito importante: a extensão. O trabalho possui como objetivo um relato de experiência da presente definição do Centro de Cuidados de Enfermagem (CCENF), espaço em que a enfermagem pode atuar junto à comunidade, proporcionando melhorias das condições de saúde e existência dela. Desta forma o método é a descrição do desenvolvimento das atividades previstas para a implantação e desenvolvimento do CCENF e o seu andamento (1ª publicação). O resultado é a exposição das atividades já executadas e daquelas pendentes, cuja abordagem contribuirá para a efetivação do trabalho de implantação. É possível, assim, realizar o embasamento deste ambiente de autonomia para a atuação da enfermagem, proporcionando imensa satisfação aos profissionais em fazê-lo e apresentá-lo.
Descritores:
 Cuidado, Enfermagem,  Saúde pública.



INTRODUÇÃO

A disposição e abertura para mudanças que busquem inovações e criações é uma condição básica para o processo curricular da academia. Dentro deste contexto o Centro de Cuidados de Enfermagem (CCENF) está sendo inserido no Departamento de Enfermagem (DENF) da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

A proposta do CCENF é o desenvolvimento de atendimentos específicos da área de enfermagem às necessidades de saúde da população. De acordo com SANTOS (2002):

“Refletindo sobre o cotidiano do trabalho de enfermagem, observamos que muitas atividades são desenvolvidas tendo como foque principal o bem-estar e conforto do cliente. Isso exige um esforço constante dos profissionais no entendimento da complexidade e fragilidade desse ser humano sob sua responsabilidade pois nem sempre o que se preconiza tradicionalmente para atende-lo surte o resultado almejado. É na esfera dessa demanda do cliente que se desenvolve o cuidado específico de enfermagem voltado para as necessidades e desejos de sua clientela.” 

O desenvolvimento desses atendimentos serão realizados articulando a teoria com a prática, colocando o aluno como sujeito da aprendizagem, diversificando os cenários de prática, integrando a pesquisa ao ensino, promovendo uma educação orientada para os problemas mais relevantes da sociedade e flexibilizando o currículo de enfermagem, além de configurar o processo de extensão universitária.

O objetivo do CCENF é prestar atendimento de enfermagem à população especificada nas parcerias e área de abrangência, integrando a pesquisa, o ensino e a extensão. Já foram realizados diversos trabalhos para a implantação e desenvolvimento do Centro de Cuidados. Entre eles estão a definição da área de abrangência do CCENF, realizada junto ao Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (IPPUC), o levantamento das expectativas ou possibilidades dos docentes de enfermagem da UFPR no que se refere ao CCENF e o contato inicial com as parcerias de órgãos do sistema de saúde.

Um procedimento importante é o levantamento dos resultados já existentes, uma vez que torna possível sistematizar os trabalhos a serem realizados, com vista na real efetivação da implantação do CCENF. As atividades ainda pendentes constituem campo de atuação para as diversas disciplinas de enfermagem, com seus respectivos docentes e discentes; o que permitiria uma vinculação inicial ao CCENF que está sendo implantado para sua atuação. A realização destas atividades possibilita a disponibilização do Centro de Cuidados para a universidade e para a população da área de abrangência geográfica.

Neste contexto, o objetivo do presente trabalho é relatar a implantação e o desenvolvimento das atividades previstas para o CCENF. O relato seguirá uma metodologia de enumeração das atividades propostas, subdivididas entre as que já foram concluídas, aquelas das quais depende a efetivação da implantação e as atividades a serem realizadas após esta efetivação.


DESENVOLVIMENTO

Ações propostas para a implantação e funcionamento do Centro de Cuidados
* Definir a territorialidade do Centro, levantando as características populacionais e familiares da região e as necessidades de cuidados de enfermagem apresentadas.
* Buscar dados que permitam a estruturação das atividades, através das expectativas e/ou possibilidades dos docentes de enfermagem.
* Elaborar um Regimento Interno para o CCENF.
* Integrar ações do CCENF com os usuários cadastrados na U.S. Ouvidor Pardinho, pertencentes à área de abrangência.
* Desenvolver atividades de planejamento em ações de saúde, baseada nos conceitos de Vigilância à saúde e cuidados de enfermagem.
* Desenvolver plano de educação à saúde para o CCENF.
* Fazer um levantamento dos usuários idosos que necessitam de cuidados domiciliares cadastrados na Unidade de saúde da área de abrangência.
* Definir a organização de trabalho do Centro de Cuidados.
* Estabelecer um sistema de referência do CCENF com os serviços municipais.


2.1 Atividades já desenvolvidas. Dentre todas as atividades visadas, já podemos estabelecer resultados decorrentes do trabalho realizado para a implantação do CCENF, que podem ser enumerados e descritos como atividades já desenvolvidas. Entre elas estão:

2.1.1 As atividades de definição da territorialidade do CCENF, mapeamento da área geográfica e levantamento das características populacionais e familiares da região, foram realizadas e descritas num subprojeto denominado “ Territorialidade do CCENF da UFPR”; junto a trabalhos do 3º período da graduação de enfermagem da UFPR em 2002. O subprojeto foi realizado junto ao IPPUC, quando foi mapeada a região das proximidades do CCENF, situado à Rua Padre Camargo, 280, Alto da Glória em Curitiba-PR, sendo definida como territorialidade os bairros: Juvevê, Alto da Glória e Centro.

Dados diversos foram obtidos pelas alunas do 3º período na disciplina de Saúde Coletiva. Através de buscas realizadas junto a órgãos como o IPPUC, o IBGE, associações populares, unidade de saúde, entrevistas com a população alvo e observações diretas do espaço físico do território; foi realizada a leitura da população da área e suas condições de vida e existência. Região com predominância de idosos, prédios e estabelecimentos comercias; áreas de lazer são restritas, sendo a maioria privada em que se precisa pagar para usufruir. Há várias praças, entretanto não podem ser aproveitadas de forma plena devido ao índice de violências nestas áreas.

De acordo com VILLAROSA (1993):
“O território é o lugar onde é gerada a demanda de saúde – não é concebido em termos meramente físicos, mas sim como o produto da interação entre diferentes atores sociais, cada um com suas necessidades e demandas. Este território, portanto, é definido por critérios sociais, econômicos, culturais e epidemiológicos. Além disso, o território é definido como assimétrico, na medida em que as características sócio-econômicas – e, portanto as necessidades de saúde – não se distribuem de forma homogênea dentro dele”.

O espaço referido é um território-processo, espaço em permanente construção, produto de uma dinâmica social. Em função disto, a disciplina de Saúde Coletiva, continuará, semestralmente, a integrar suas atividades curriculares ao CCENF, realizando novas pesquisas e levantamentos sobre a área de atuação do CCENF.

2.1.2 Um segundo subprojeto denominado Expectativas e/ou Possibilidades do CCENF, que constitui a verificação da expectativa ou possibilidades dos docentes em desenvolverem atividades no espaço do Centro de Cuidados, para que este seja estruturado e desenvolvido para a atuação destes profissionais.

Uma análise quantitativa das respostas, obtidas por meio de um questionário aos docentes aplicado, nos permite enumerar as atividades propostas por eles, ilustrando suas necessidades e idealizações. Condensando as informações obtidas, podemos colocar que a estruturação das atividades do CCENF seria dada da seguinte maneira:

- formas de atendimento: consultas de enfermagem, educação em saúde e cuidados diversos. As consultas de enfermagem destinadas às crianças, idosos, adolescentes e mulheres, também incluindo consultas de saúde mental para pacientes e familiares. Segundo MORAES (apud CASTRO – 2002):

“A dúvida sobre a possibilidade de se fazer um paralelo entre o sofrimento do homem de hoje e o adoecer clássico, no qual estão baseadas nossas intervenções terapêuticas, sempre nos acompanha, como também a pergunta se o caminho para a compreensão dos transtornos de existência, presentes em nosso consultório, é classificar esses transtornos segundo o tradicional quadro de sintomas e patologias”.

Nas consultas de enfermagem o paciente é visto como proveniente de uma realidade social, portador de valores e crenças, tornando possível um prognóstico completo por adotar uma visão integral do ser humano.

A educação em saúde é baseada em programas de promoção à saúde e orientações, referentes a doenças crônicas e fatores de saúde. É um processo dinâmico em que a pessoa aceita ou rejeita as novas informações frente aos problemas de saúde, tornando o acompanhamento dos portadores de uma doença, trabalho necessário para que o indivíduo passe a se cuidar e viver melhor com a doença.

Os cuidados diversos são apresentados por diversas tarefas da enfermagem, além de temas mais novos como as terapias alternativas e os cuidados ao cuidador. Eles prestam-se a prevenir e aconselhar os usuários para que evitem pequenos ou graves transtornos.

O funcionamento é em horário comercial, de Segunda à Sexta efetivando a ocupação e aproveitamento do espaço, além da satisfação do cliente (população externa) quanto ao atendimento continuado. Essencialmente um campo de prática trabalhando de forma preventiva e também assistencialista, integrando as diferentes disciplinas, com a contribuição destas na organização e prestação de serviços.

2.1.3 Uma preliminar do Regimento Interno para o Centro de Cuidados de Enfermagem, com a ação de definir a organização de trabalho do centro. Para  viabilizar atividades extensivas, deve haver um planejamento com concordância por parte da escola e da instituição de saúde, com seguridade de tempo para as atividades. Visa-se com o regimento regulamentar as ações do CCENF, dividindo direitos e deveres e estabelecendo normas de conduta. Está prevista a integração da disciplina de administração em enfermagem, para que o regimento seja então concluído, mais uma vez com acréscimo para o CCENF e para a graduação.

2.1.4 Um Plano de Educação em Saúde que começou a ser desenvolvido, inicialmente sendo direcionado para alunos do ensino fundamental do Instituto de Educação do Paraná Professor Erasmo Pilotto (IEPPEP) de Curitiba/PR. Ele poderá ser estendido a outras instituições de educação da área de abrangência, com contatos a estabelecer.

O IEPPEP foi contatado, quando se apresentou o projeto principal, podendo-se assim estabelecer as possibilidades e as dificuldades. Conforme o decorrer do processo de educação em saúde, também poderão ser estabelecidas prioridades e necessidades dos pais. De acordo com LESSA DILLY (1995):

 “O enfermeiro é o elemento que em sua formação possui, em maior grau, os requisitos necessários ao desenvolvimento da tarefa de ensinar questões relativas à saúde. Os cursos de graduação em Enfermagem têm, entre seus objetivos, capacitá-lo para tal, e a valorização das ciências humanas no currículo, bem como as abordagens de aspectos pedagógicas em diversas situações de ensino-aprendizagem do curso, nos levam a afirmar que o enfermeiro, na equipe multiprofissional de saúde, é a peça fundamental para desenvolver atividades de educação sanitária, visando tanto a saúde individual quanto a coletiva.”

2.1.5 O levantamento dos usuários idosos ou com doenças crônicas, cadastrados na U.S. Ouvidor Pardinho, que necessitam de cuidados domiciliares, foi outra atividade. Essa unidade de saúde é responsável pelo atendimento de atenção à saúde de 18 bairros de Curitiba, entre os quais estão os 3 da territorialidade do CCENF. Torna-se necessária, então, a parceria da unidade com o Centro de Cuidados. A coordenação do projeto já possui em mãos os dados referentes a estes usuários: nome, idade, endereço, agravo de saúde, dependências e condições de vida.

A interação das reais condições de vida do paciente é necessária no sentido de compreender o ser humano doente como uma pessoa pertencente a um contexto sócio-econômico e cultural e não mais um objeto, um número.

Estes resultados obtidos nos induzem a uma análise para estabelecer as prioridades para nós, em termos de finalizar este importante processo de desenvolvimento do CCENF.


Ações pendentes para a efetivação da Implantação e Funcionamento do CCENF
Analisando-se as ações iniciais previstas para a finalização do processo de implantação, podemos averiguar que são poucas as atividades pendentes, e que, entretanto interferem no andamento do mesmo. Seriam:

- Concretização da parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba/ estabelecimento do sistema de referência do CCENF com os serviços municipais. O Centro de Cuidados necessita da disponibilização de recursos materiais para adequar as condições do estabelecimento para seu funcionamento. Também existe a prioridade em prestar um atendimento continuado, sendo necessária a parceria para dar suporte às necessidades de atendimento médico, de encaminhamento do paciente.

- Elaboração de um plano de atendimento coletivo e individual a ser realizado com os idosos referenciados pela U.S. Ouvidor Pardinho. A divisão do espaço e das atuações das disciplinas se faz importante, junto à elaboração de um plano de atendimento para os usuários, baseados em modelos de atenção à saúde e não em dados de produtividade.

- Conclusão do Planejamento de Educação em Saúde, que pode ser transformado em um projeto à parte, mas continuando com atuação na população-alvo do Centro.

- Estabelecimento de vínculos com as Moradias estudantis para cobrir necessidades de saúde. Na área circunscrita estão presentes três moradias estudantis que acabam desamparadas pelo sistema de saúde regional.

- Estabelecimento de identificação, planejamento e extensão de cuidados de enfermagem que serão realizados no CCENF.


Ações a realizar após a implantação do CCENF
O início do atendimento prestado pelo CCENF é ansiosamente esperado, já visando a realização de diversos serviços e ações, tais como:

-Integrar as ações do CCENF com as atividades da U.S. Ouvidor Pardinho.

- Promover cuidados de enfermagem à população das moradias estudantis da área de abrangência circunscrita ao CCENF, bem como às Escolas Estaduais da região com ênfase de promoção e prevenção de doenças.

- Realizar cuidados relacionados à imunização, administração de medicamentos, tratamento de lesões, seja no Centro de Cuidados ou no Cuidado Domiciliar.

- Oferecer capacitação para os cuidadores familiares.

- Promover cuidados de enfermagem.

- Propor avaliação das atividades baseada em modelos de atenção à saúde, não em dados de produtividade.

- Propor com a Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba um Programa de Educação continuada aos serviços municipais e/ou vinculados ao SUS-Curitiba, baseados nas prioridades apontadas pelos parceiros.


CONCLUSÃO

A implantação e o desenvolvimento de um espaço específico para os trabalho da área de enfermagem, com integração de pesquisa e extensão, requer a proposta de muitas atividades e a execução das mesmas para que possa ser realizado. Entretanto há objetivos a alcançar que não dependem somente do envolvidos diretamente com este processo, o que pode modificar a programação das atividades ou atrasar o desenvolvimento das mesmas.

A integração das diversas áreas do conhecimento dentro da própria enfermagem pode gerar um vasto campo de atuação e enriquecimentos. Também o envolvimento de diversos órgãos e sistemas se faz interessante para o bom andamento do processo e posterior integração das necessidades, por parte de ambos, permitindo eficiência e eficácia das atividades a serem exercidas. Afinal a formação profissional e ética precisa dar respostas às transformações da prática profissional, quando a escola será desafiada a dar respostas, definindo novos conteúdos de ensino e novas metodologias que permitam ao professor e ao aluno lidarem com uma soma de informações que se modificam.


REFERÊNCIAS

1. Castro DSP et al, (org.). Existência e Saúde. São Paulo: Universidade Metodista de São Paulo; 2002.

2. Dilly CML, Jesus MCP. Processo educativo em Enfermagem: Das concepções pedagógicas à prática profissional. São Paulo: Robe Editorial; 1995.

3. Villarosa FN (org.). A Estimativa e a Divisão do Território no Distrito Sanitário.  Brasília: OPAS/OMS; 1993.

4. Santos I, Figueiredo N, Sobral V, Tavares C. Caring: building na new history of sensibility. Online Braz J Nurs [ internet ] 2002 [ cited Feb 10 2003 ]1(3). Available from: http://www.uff.br/nepae/objn 103santosietal.htm. 

 


Recebido: 13/12/2002
Aprovado: 03/10/2003