v12 sup 4519 pt

NOTAS PRÉVIAS

 

Educação permanente em saúde para enfrentamento de catástrofes naturais: uma pesquisa-intervenção

 

Bruna Salgueiro Bruno1, Ana Lúcia Abrahão2

1,2 Universidade Federal Fluminense

 


RESUMO
O estudo tem como objetivo principal analisar o Planejamento Estratégico Situacional (PES), como dispositivo da Educação Permanente em Saúde (EPS) para enfrentamento das catástrofes naturais por uma equipe de Saúde da Família. O método empregado será o da pesquisa-intervenção, com abordagem qualitativa, em que será utilizado o PES como dispositivo da EPS a fim de nortear a equipe de Saúde da Família no planejamento das ações em saúde. A análise dos dados será a partir da construção dos quatro momentos do PES e em acordo com a análise do conteúdo, entendido como um conjunto de técnicas de análise de comunicação. Espera-se que a implementação da EPS seja capaz de gerar instrumentos norteadores que auxiliem as equipes nas ações territoriais para enfrentamento de catástrofes naturais, a fim de lidarem com estas condicionalidades de forma integral e resolutiva.
Descritores: Desastres Naturais; Educação Continuada; Planejamento Estratégico.


 

SITUAÇÃO PROBLEMA E SUA SIGNIFICÂNCIA

As catástrofes naturais que assolaram a região serrana do estado do Rio de Janeiro nos anos de 2011 e 2012 deixaram sequelas incalculáveis para os municípios, abalando e destruindo os territórios e as vidas de milhares de pessoas. Muitas equipes de Saúde da Família precisaram prestar assistência à população acometida, porém diante do inesperado e do despreparo, não apresentavam conhecimentos prévios para este enfrentamento, ficando desamparadas, agindo de forma improvisada e muitas vezes empírica. A ausência de estratégias de enfrentamento em situação de desastres, antes nunca vivenciados, culminou em ações de saúde tecnicistas e pouco resolutivas. O Planejamento Estratégico Situacional (PES) ao ser incorporado nas ações das equipes de Saúde da Família, introduzindo os momentos: normativo; explicativo; estratégico e tático-operacional, possibilita criação de novos modos de enfrentamento dos profissionais nestas situações, sendo um dispositivo no contexto da Educação Permanente em Saúde (EPS). 

A EPS baseia-se na aprendizagem significativa e pode ser entendida como aprendizagem-trabalho, pois é realizada a partir dos problemas enfrentados na realidade e leva em consideração os conhecimentos e as experiências que as pessoas já têm. Trata-se de tornar os trabalhadores responsáveis pela sua respectiva formação e tem como objetivo alcançar a competência individual e coletiva, além de fortalecer as categorias profissionais, e por consequência a equipe de saúde(1).

A Política Nacional de Educação Permanente em Saúde(2) considera a EPS como uma importante representação para uma mudança na concepção e nas práticas de capacitação dos trabalhadores dos serviços de saúde. Nesta perspectiva, a EPS incorpora o ensino e o aprendizado à vida cotidiana das organizações no contexto real em que ocorrem; as estratégias educativas passam a emergir da prática como fonte de conhecimento e de problemas vivenciados, problematizando a prática e tornando os atores seres reflexivos da própria prática.

Este estudo justifica-se pela experiência negativa vivenciada por uma equipe de Saúde da Família frente à situação de enchente e à necessidade de assistência à população acometida, na qual se evidenciou despreparo e fragilidades da equipe para este enfrentamento. A probabilidade de novos episódios de desastres naturais reforça a necessidade de implementação de uma estratégia educativa que seja capaz de empoderar as equipes de Saúde da Família para lidar com estas condicionalidades de forma integral e resolutiva.

 

QUESTÕES NORTEADORAS

De que forma a EPS pode ser utilizada como estratégia para o enfrentamento das catástrofes naturais? A implementação do planejamento estratégico situacional (PES), como dispositivo da EPS norteará a equipe de Saúde da Família para o enfrentamento das catástrofes naturais? A formulação de instrumentos norteadores poderá auxiliar a equipe de Saúde da Família na ação territorial em casos de catástrofes naturais?

 

OBJETIVOS

Analisar a utilização do PES como dispositivo da EPS, em uma equipe de Saúde da Família, para enfrentamento das catástrofes naturais; Identificar as potencialidades do PES como ferramenta em situação de catástrofes naturais; Formular mecanismos (instrumentos norteadores) que auxiliem a equipe de Saúde da Família na ação territorial para enfrentamento de catástrofes naturais.

 

MÉTODO

Trata-se de pesquisa do tipo intervenção de abordagem qualitativa. Será utilizado o PES(3) como dispositivo da EPS, nos grupos/equipe de Saúde da Família, mediante encontros em rodas, no período de dezembro de 2013 a maio de 2014. Pretende-se identificar os problemas vividos pelos profissionais e pela comunidade, definir suas causas, traçar planos de ação/intervenção para eliminação e/ou minimização dos mesmos, além de favorecer a elaboração de instrumentos norteadores que auxiliem a equipe de Saúde da Família nas ações de saúde territoriais em caso de catástrofes naturais. Os sujeitos nesta pesquisa serão os membros da equipe de Saúde da Família e seis moradores de uma comunidade, localizada no bairro de Vargem Grande, em Teresópolis, totalizando 18 sujeitos, seguindo os critérios de exclusão e inclusão. Como inclusão: profissionais com vínculo superior há anos na Saúde da Família e que tenham vivenciado situações de catástrofes. Exclusão: discentes de cursos de graduação da saúde; profissionais sem vínculo com a comunidade. Será oferecido aos sujeitos do estudo um termo de consentimento livre e esclarecido em acordo à Resolução nº 466, de 12 de Dezembro de 2012 do Conselho Nacional de Saúde. A análise dos dados se dará a partir da construção dos quatro momentos do PES e em acordo com a análise do conteúdo, entendido como um conjunto de técnicas de análise de comunicação.

 

REFERÊNCIAS

1. Ferreira GSM, Ponte KMA, Aragão AEA, Arruda LP, Ferreira IS. Continuous education of professionals in the hospital environment: an exploratory study. Online braz j nurs [ periodic online ]. [ 2012 Oct 11 ] Suppl 1:488-91. Available from: http://www.objnursing.uff.br/index.php/nursing/article/view/3874

2. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Departamento de Gestão da Educação em Saúde. Política Nacional de Educação Permanente em Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2009.64 p.

3. Abrahão AL, Souza AC, Marques D. Estratégia Saúde da Família: desafios e novas possibilidades para a atenção básica em saúde. Niterói: Editora da UFF, 2012. 205p.

 

 

DADOS DO PROJETO
Projeto de dissertação do Programa de Mestrado Profissional em Ensino na Saúde da UFF. Orientadora: Ana Lúcia Abrahão
Endereço para correspondência: brunabrunofisio@hotmail.com

 

 

Recebido: 29/08/2013
Revisado: 02/09/2013
Aprovado: 04/09/2013