The life of the adolescent with HIV/AIDS and self-care: A descriptive study.
HTML
HTML (Español (España))
HTML (Português (Brasil))
PDF
PDF (Español (España))
PDF (Português (Brasil))
EPUB
EPUB (Español (España))
EPUB (Português (Brasil))

Supplementary Files

(Português (Brasil))
versão titulo corrigido (Português (Brasil))
objn (Português (Brasil))

Keywords

Self Care
Theory Adolescents whiht HIV
Orem Theory. Teoría del autocuidado
Adolescente con el VIH
Teoría del Orem Teoria do Autocuidado
Adolescente com HIV
Teoria de Orem

Abstract

Aim: to describe the relationship of adolescents that live with the Human Immunodeficiency Virus (HIV) and their self-care practices. Methodology: This is a descriptive study, based on the Orem’s Self-care General Theory, performed with nine adolescents, patients of the Sexually Transmitted Diseases ward of a hospital located in the city of Fortaleza, Brazil. The interpretation of this study was based on the analysis of the content found. Results: Family support, health professionals and friends, mass media and intrinsic motivation were mentioned as self-care stimulus. The barriers found were prejudice and shame, ineffective adaptation and lack of information. Discussion: Through the education in health as assisting practice of this context, it is possible to promote strategies of specific self-care inside the sociocultural environment of the adolescents. Conclusion: It is a duty to health professionals, especially the nurses, to join efforts in order to improve the strategies that aim to engage HIV-positive adolescents in the use of self-care practices.

https://doi.org/10.5935/1676-4285.20133812
HTML
HTML (Español (España))
HTML (Português (Brasil))
PDF
PDF (Español (España))
PDF (Português (Brasil))
EPUB
EPUB (Español (España))
EPUB (Português (Brasil))

References

UNAIDS. Joint action for results: UNAIDS outcome framework 2009–2011. Geneva, UNAIDS. 2009; 100 p.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Programa Nacional de DST e Aids. Boletim Epidemiológico DST/Aids. Brasília; 2009. 64 p.

Thiengo MA, Oliveira DC, Rodrigues BMRD. Representações sociais do HIV/AIDS entre adolescentes: implicações para os cuidados de enfermagem. Rev. esc. enferm. USP [periódico na Internet]. 2005 Mar [citado 2010 jun 13]; 39(1): 68-76.

Orem DE. Nursing: concepts of practice. New York: McGrau-Hill; 1980. Formalization of Nursing Knowledge; p. 136-159.

Griboski RA, Guilhem D, Castello Branco J.D. Adolescência, Sexualidade e Situações de Vulnerabilidade. Um Estudo qualitativo. Online Braz J Nurs. 2008. [2009-10-08]7(2). Available from: http://www.objnursing.uff.br/index.php/nursing/article/view/j.1676-4285.2007.1061/240

Ayres JRCM, Segurado AAC, Galano E, Marques HHS, França Junior I, Silva MH, et al. Adolescentes e Jovens Vivendo com HIV/AIDS: Cuidado e Promoção da Saúde no Cotidiano da Equipe Multiprofissional. AIDS Novos Horizontes - Edição Especial ECI, 2005; 4(11): 23-36.

Silva IJ, Oliveira MFV, Silva SED, Polaro SHI, Radünz V, Santos EKA, et al. Cuidado, autocuidado e cuidado de si: uma compreensão paradigmática para o cuidado de enfermagem. Rev. esc. enferm. USP [periódico na Internet]. 2009 [citado 2010 ago. 17]; 43(3): 697-703. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v43n3/a28v43n3.pdf.

Bardin L. Análise de Conteúdo. Trad. Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: Edições 70, 2002. 287 p.

Brasil. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 196 de 10 de outubro de 1996. Diretrizes e normas reglamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos [texto na Internet]. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília (DF); 1996. 4(2 Supl): 15-25.

Xavier ATF, Bittar DB, Ataide MBC. Crenças no autocuidado em diabetes: implicações para a prática. Texto contexto - enferm. 2010; 18 (1): 124-30.

Neves EP, Wink S. O autocuidado no processo de viver: enfermeiras compartilham concepções e vivências em sua trajetória profissional. Texto contexto - enferm, 2007; 16 (1): 172-9.

Erdmann AL, Backes MTS, Backes DS, Koerich MS, Baggio MA, Carvalho JN, et al. Gerenciando uma experiência investigativa na promoção do "viver saudável" em um projeto de inclusão social. Texto contexto - enferm. [periódico na internet]. 2009 junho [citado 2010 abr. 25]; 18(2): 369-77. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v18n2/22.pdf

Machado MMT, Leitao GCM, Holanda FUX. O conceito de ação comunicativa: uma contribuição para a consulta de enfermagem. Rev. Latino-Am. Enfermagem, 2005; 13(5):723-8.

Barcelos LMS, Alvim NAT. Atenção e presença física: dimensões expressivas e a prática dialógica do cuidado de enfermagem na perspectiva do cliente hospitalizado. Rev. bras. enferm. [periódico na Internet]. 2006 [citado 2010 abr 25]; 59(1): 25-29.

Gryschek AL, Fátima PL, Domingos JC, Figueiredo CRDL, Nichiata LY, Osório LM. Necessidades de qualificação da equipe de enfermagem para a assistência aos clientes portadores do HIV e da Aids. Rev. esc. enferm. USP [periódico na Internet]. 2000 Set [citado 2010 abr 13]; 34(3): 288-293.